Galeria de Fotos

Não perca!!

Nacional

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello e a advogada Daniela Borges (Foto: Montagem | Redação)
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello e a advogada Daniela Borges (Foto: Montagem | Redação)

'E é uma doutora, professora', frisou o ministro, durante julgamento no STF
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello interrompeu a sustentação de uma advogada baiana, na manhã desta quarta-feira (6), após ela se referir aos ministros da Suprema Corte por "vocês". Daniela Borges representava a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no julgamento tratava da constitucionalidade da contribuição previdenciária sobre o salário-maternidade.

Mais cedo, Mello já havia repreendido o advogado Renato Guilherme Machado Nunes em sua sustentação, pelo mesmo motivo. Depois, Borges acabou repetindo o equívoco: “Inclusive, queria confessar aqui para vocês que nessa causa se discute a ausência...". Marco Aurélio, então, paralisou a fala da advogada. "Presidente, novamente advogado se dirige aos integrantes do tribunal como 'vocês'. Há de se observar a liturgia”, criticou Marco Aurélio ao presidente do STF, Dias Tofoli. O ministro ainda frisou que ela era "uma doutora, professora".

Ao Bahia Notícias, Daniela ressaltou que não gostaria de esquecer o fato principal, que foi o tema defendido por ela: que a cobrança fere a isonomia e prejudica a admissão de mulheres no mercado formal do trabalho.

"Ele me cita nominalmente. No final das contas, para mim o mais importante é o tema que está sendo discutido. Não gostaria de ver uma tema importante reduzido a aquela fala dele. Não quero que isso ofusque o que estava sendo discutido", defendeu.

Sobre a interrupção, ela entende que não houve perseguição por ser mulher. "O advogado [que se manifestou antes] também falou 'você'. Ele também fez a mesma consideração. Na minha visão não teve machismo da parte dele. Terminei ela [sustentação oral], houve uma interrupção mas consegui retomar", explicou.

A advogada entende que o procedimento ao se referir a um ministro exige alguns pronomes de tratamento específico. "É a liturgia, é o protocolo. Podemos questionar se está correto. Podemos questionar enquanto sociedade, mas nesse momento isso existe", disse.

Durante a interrupção, Daniela reiterou seu pedido de perdão. “Peço desculpas a Vossa Excelência. Talvez pelo nervosismo. O senhor, Vossa Excelência, tem toda a razão. Peço desculpas. É o que posso fazer no momento", ressaltou Daniela durante o discurso.

Vídeo

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br