Galeria de Fotos

Não perca!!

Cidade

Eva quer ser uma voz na luta em defesa de centenas de milhares de mulheres que são violentadas no Brasil diariamente (Foto: Reprodução)
Eva quer ser uma voz na luta em defesa de centenas de milhares de mulheres que são violentadas no Brasil diariamente (Foto: Reprodução)

Eva quer ser uma voz na luta em defesa de centenas de milhares de mulheres que são violentadas no Brasil diariamente e aceitou entregar o seu nome ao que será chamado de Fundo Eva Luana de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres.

O Fundo Estadual de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, cuja criação já tramitou na Assembleia Legislativa, poderá ser batizado com o nome da estudante de direito Eva Luana, de 20 anos, que foi vítima de uma série de violência, tortura, e terror pelo seu padrasto em Camaçari. Autora do projeto que indica a criação do fundo em 2015, a deputada Fabíola Mansur recebeu a visita da jovem Eva Luana, em busca de apoio institucional à sua luta por justiça. No encontro, a estudante de direito relatou o caso de horror que sofreu ao lado da mãe ao longo de oito anos, mas também de coragem e superação a partir do momento em que ela decidiu enfrentar as ameaças e denunciar ao mundo o seu caso.

Eva quer ser uma voz na luta em defesa de centenas de milhares de mulheres que são violentadas no Brasil diariamente e aceitou entregar o seu nome ao que será chamado de Fundo Eva Luana de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres. A parlamentar argumenta que os números na Bahia são motivos suficientes para que sejam estabelecidas urgentemente medidas para tentar reverter o quadro. Segundo o Mapa da Violência, o estado baiano é o 6º lugar no ranking nacional em casos de violência contra a mulher.

De acordo com a proposta, “o Fundo será um importante instrumento de luta para fortalecermos a política estadual de enfrentamento à violência e o combate ao feminicídio, principalmente no momento de crise financeira. O fundo poderá receber dinheiro não apenas do orçamento, mas também de doações privadas, convênios com organismos nacionais e internacionais, e seus rendimentos, para investir em ações concretas, fortalecendo a rede de serviços para as mulheres, prestar assistência às vítimas, campanhas de prevenção, medidas pedagógicas. Além de ações de apoio ao acolhimento a mulheres vítimas, como as casas de abrigo, novas delegacias especializadas, dentre outras coisas”, aponta Fabíola.

“A aprovação deste projeto pelo nosso governador Rui Costa é fundamental para fortalecermos as políticas para as mulheres, para alcançarmos mais resultados nesse universo cruel do machismo e da violência, que atinge diariamente milhares de Evas Luanas, que hoje se tornou um ícone vivo da luta feminina. Somos solidárias à história de força e superação de Eva Luana, que nos comove mas também nos dá energia para seguirmos na luta por ela e outras garotas ”, finaliza a deputada, que anuncia a criação de uma campanha pela criação do Fundo Eva Luana.

Veja também:

Acusado de abuso sexual, padrasto de Eva Luana é investigado por outros crimes

Filha de 6 anos também é vítima em processo que investiga padrasto de Eva Luana

Padrasto de Eva denunciado pela enteada por estupro e tortura é transferido para presídio

Exoneração do homem acusado de violentar mulher e enteada em Camaçari sai no Diário Oficial

Preso, padrasto de Eva é indiciado por estupro e tortura; ele nega crimes

Cruzado de direita' - Estudantes convidam população para manifestação em apoio à jovem Eva Luana

Vídeo - Durante briga em Manaus, blogueira arranca lábio de mulher

Servidor público - Preso acusado de estuprar e torturar enteada e a esposa em Camaçari

Acusado de estuprar e torturar enteada em Camaçari não responde à perguntas da polícia

"Filme de Terror" - Com desabafo chocante jovem camaçariense supostamente desaparecida revela razão do seu ‘sumiço’

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br