Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Internacional

Queda do avião ucraniano, abatido por um míssil, causou a morte de todas as 176 pessoas que se encontravam a bordo, a maioria iranianas e canadenses (Foto: Reprodução)
Queda do avião ucraniano, abatido por um míssil, causou a morte de todas as 176 pessoas que se encontravam a bordo, a maioria iranianas e canadenses (Foto: Reprodução)

Fotos e vídeos após o incidente mostram poças de sangue na calçada

A polícia e as forças de segurança iranianas dispararam balas reais e gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes que protestavam contra as autoridades, que negaram inicialmente ter abatido um avião ucraniano, informou nesta segunda-feira (13) a agência Associated Press (AP).

Os veículos de comunicação estatais do Irão não noticiaram imediatamente o incidente perto de Azadi, ou Praça da Liberdade, em Teerã, na noite desse domingo (12). No entanto, organizações não governamentais de defesa de direitos humanos já pediram ao Irã que permita que as pessoas protestem pacificamente, conforme permitido pela Constituição.

"Após traumas nacionais sucessivos em curto período de tempo, as pessoas devem poder expressar o luto e exigir responsabilidades em segurança", disse o diretor executivo da organização não governamental (ONG) Centro para os Direitos Humanos no Irã, com sede em Nova Iorque.

"Os iranianos não deviam ter de arriscar a vida para exercer o direito constitucional de se reunir pacificamente", acrescentou a ONG.

Vídeos enviados à organização e posteriormente analisados pela AP mostram uma multidão correndo, depois de uma granada de gás lacrimogêneo atingir os manifestantes.

As pessoas tossem e espirram enquanto tentam escapar, com uma mulher a gritar, em farsi: "Eles dispararam gás lacrimogêneo contra as pessoas! Praça Azadi. Morte ao ditador!".

Outro vídeo mostra uma mulher sendo carregada, em meio a marcas de sangue no chão. Pessoas ao seu redor gritavam que ela foi baleada na perna.

"Ela sangra sem parar!", disse uma pessoa.

Fotos e vídeos após o incidente mostram poças de sangue na calçada.

A Polícia antimotim, com uniformes e capacetes pretos, reuniram-se na Praça Vali-e Asr, na Universidade de Teerã, e em outros pontos da capital.

Membros da Guarda da Revolução patrulhavam a cidade em motos, e outras forças da segurança à paisana também foram mobilizados para as ruas. As pessoas olhavam para baixo, enquanto passavam rapidamente pela polícia, aparentemente para tentar não chamar a atenção.

Na quarta-feira (8), a queda do avião ucraniano, abatido por um míssil, causou a morte de todas as 176 pessoas que se encontravam a bordo, a maioria iranianas e canadenses.

Inicialmente, as autoridades iranianas negaram qualquer culpa das Forças Armadas no acidente. Após três dias, o Irã admitiu que o avião foi derrubado acidentalmente, diante das crescentes provas e acusações apresentadas por vários líderes ocidentais.

SERVIÇO:

Esgoto entupido? Chame a Metropolitana Desentupidora

Veja também:

Iranianos protestam após país admitir que foi responsável por queda de avião

Irã admite que 'acidentalmente' abateu avião ucraniano

Irã nega que avião ucraniano que caiu em Teerã tenha sido atingido por míssil

Vídeo - Avião ucraniano foi derrubado por mísseis iranianos, diz revista estadunidense

Mulher teve premonição que avião ucraniano iria cair, diz marido

Relatório aponta que Boeing ucraniano pegou fogo antes de cair no Irã

Irã não entregará caixas-pretas de avião ucraniano à Boeing e aos americanos

Avião ucraniano cai após decolagem no Irã e deixa 176 mortos

Tensão - Irã lança 12 mísseis contra duas bases militares dos EUA no Iraque

Irã pede explicações ao Brasil sobre nota de apoio aos Estados Unidos

Parlamento iraquiano aprova expulsão de tropas americanas

Guerra entre EUA e Irã - Brasil sediará encontro entre aliados

Irã oferece US$ 80 milhões pela cabeça de Trump

Vai haver Terceira Guerra? O que se sabe sobre a crise EUA e Irã? Entenda

'Não tenho poderio bélico do americano' para opinar sobre ataque, diz Bolsonaro

Novo ataque dos Estados Unidos deixa seis mortos no Iraque, diz agência

Estados Unidos enviam 3 mil soldados ao Oriente Médio

Quem é Qasem Soleimani, o general iraniano morto em ataque aéreo dos EUA em Bagdá

Após ataque dos EUA no Iraque, 3ª Guerra Mundial vira assunto mais comentado

Bombardeio ordenado por Trump mata principal general iraniano; Irã promete 'retaliação

Ataque de Trump ao Irã vai impactar no preço do combustível, afirma Bolsonaro

China, Rússia e França fazem alerta após ataque dos EUA matar militar do Irã

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br