Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Opinião

Ampolas do medicamento remdesivir, antiviral fabricado pelo laboratório americano Gilead (Foto: Ulrich | Reuters)
Ampolas do medicamento remdesivir, antiviral fabricado pelo laboratório americano Gilead (Foto: Ulrich | Reuters)

Fabricante do antiviral remdesivir, que apresentou resultados modestamente positivos no tratamento contra a Covid-19, o laboratório norte-americano Gilead abriu mão da patente sobre o medicamento para facilitar seu acesso em 127 países. O Brasil, porém, foi excluído da lista.

Em comunicado divulgado na terça-feira (12), a empresa disse que assinou acordos de licenciamento voluntário com cinco companhias farmacêuticas especializadas na produção de genéricos, todas com sede na Índia ou no Paquistão.

"Pelo acordo de licenciamento, as empresas têm direito de receber transferência de tecnologia do processo de manufatura do remdesivir para que a produção possa escalar mais rapidamente", afirmou a Gilead no comunicado. O efeito esperado da decisão de abrir mão da patente gera acesso mais fácil e barato ao medicamento nos locais contemplados.

As empresas que assinaram o acordo com o laboratório são Cipla, Ferozsons, Hetero, Jubilant e Mylan. Elas poderão fixar o preço do produto genérico para venda nos países em que atuarem, a maioria nações pobres de América Latina, Ásia e África.

A lista também inclui alguns países de renda média, potências regionais e estados emergentes, como África do Sul, Egito, Nigéria, Índia, Indonésia, Paquistão, Tailândia e Ucrânia. Países ricos ficaram de fora. Na América do Sul, apenas Guiana e Suriname foram incluídos.

O laboratório afirmou à reportagem que a decisão sobre os países contemplados pelo licenciamento voluntário foi baseada na lista do Banco Mundial que define países de baixa e média renda, "com a inclusão de algumas exceções”. Não houve explicação específica da razão pela qual o Brasil ficou de fora.

O acordo vale enquanto a Organização Mundial da Saúde mantiver a classificação da crise do novo coronavírus como pandemia ou até que surja uma vacina ou remédio mais eficaz para a doença. Concebido inicialmente para casos de ebola, o remdesivir apresentou bons resultados no tratamento à Covid-19, reduzindo os prazos de internação de doentes em média em quatro dias.

Em 1º de maio, a FDA, agência norte-americana que regula medicamentos, autorizou o uso emergencial da droga para tentar amenizar os efeitos da pandemia no país, líder de casos e mortes pelo vírus.

No Brasil, o uso do remdesivir ainda não é permitido. Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), houve uma primeira reunião com a Gilead no último dia 6 de maio para discutir a comercialização do antiviral no mercado brasileiro.

"A Gilead tem vários ensaios clínicos em andamento para o remdesivir, com dados iniciais esperados nas próximas semanas. Caso o benefício do medicamento se comprove, a Anvisa possui mecanismos para garantir o acesso célere do medicamento à população", afirmou a agência em nota. O laboratório informou que "o plano global de submissão para remdesivir, incluindo o Brasil, está em fase de discussão interna". Não há prazo para uma definição.

Para Pedro Vilardi, coordenador do Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual, a Gilead levou em conta apenas interesses mercadológicos, ou seja, o lucro que poderá ter vendendo diretamente o produto no Brasil. Segundo ele, poderia ter sido considerado o fato de que o Brasil, mesmo sendo um país de renda média, tornou-se um dos epicentros mundiais da pandemia nas últimas semanas.

"A boa vontade do laboratório não funciona para garantir acesso equitativo para as populações. O que a gente esperava é que, no maior desafio de saúde do século, o laboratório tivesse um comportamento diferente", afirmou ele.

Segundo Vilardi, o fato de a empresa ter decidido manter a exclusividade na comercialização do medicamento no Brasil, quando autorizado pela Anvisa, significa risco grande de escassez do produto.

"A Gilead dificilmente será capaz de produzir sozinha o remdesivir para o Brasil, porque Europa e EUA ainda estão enfrentando a doença e demandarão o medicamento em grande quantidade", afirma. "Embora os resultados apresentados pela droga sejam modestos, qualquer redução de tempo de tratamento numa situação de sistemas de saúde à beira do colapso faz diferença", diz ele.

Com apoio do Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual, coletivo de organizações da sociedade civil, um projeto de lei foi apresentado na Câmara por 11 deputados federais de oito partidos diferentes para quebrar patentes de medicamentos e insumos necessários ao combate à pandemia.

O projeto ainda não entrou em pauta, no entanto. A Gilead ainda não definiu o preço do remédio. Um tratamento em geral dura entre cinco e dez dias. Procurado, o Ministério da Saúde afirmou que se reuniu com o laboratório em 8 de maio, mas não foi comunicado da exclusão do Brasil da decisão de abrir mão da patente sobre o remdesivir.

A pasta diz que "tem acompanhado diariamente todas as publicações científicas e evidências sobre tratamentos para pacientes com Covid-19, inclusive no que refere aos processos para possível disponibilização dessas tecnologias no SUS".

Clique aqui e siga-nos no Facebook

Veja também:

'Coronavírus pode nunca desaparecer e se tornar endêmico como o HIV', diz OMS

Novo coronavírus gera síndrome misteriosa que já matou 4 crianças

Prefeitura prorroga medidas de combate ao coronavírus por mais 15 dias

Camaçari registra 76 casos da Covid-19; 02 desses nas últimas 24h

Técnica de enfermagem morre vítima da Covi-19 em clínica da rede privada em Camaçari

Após velório com caixão aberto de vítima de coronavírus, cinco pessoas testam positivo para Covid-19

Nota de esclarecimento sobre óbitos na UPA de Arembepe

Com recorde de 881 mortes em 24h, Brasil alcança 12.400 óbitos por covid-19

Ponto de apoio do Centro Comercial tem novo horário de funcionamento; confira

Prefeitura recebe 180 litros de álcool em gel

Fábrica em Camaçari vai produzir até 100 respiradores por dia

Camaçari registra terceira morte pelo Covid-19; número de casos confirmados sobe para 69

Enquanto Brasil bate recorde de mortes, Bolsonaro diz que fará churrasco para 30 pessoas

Estudo aponta Brasil como novo epicentro global do coronavírus

Brasil desperta alerta mundial com 4º maior número de casos em duas semanas

Brasil está pagando "preço altíssimo" por eleger Bolsonaro, diz Rui sobre atuação do presidente na luta à Covid-19

Camaçari registra 60 casos da Covid-19 e mais um óbito suspeito neste domingo (03)

Prefeitura adota medidas para ordenar filas da Caixa a partir de segunda (4)

Primeiro ponto de apoio para cadastro do Auxílio Emergencial passa a funcionar na segunda (4)

Camaçari registra dois novos casos da Covid-19 totalizando 46 infectados; 23 estão recuperados

Casos confirmados da Covid-19 desce para 44 em Camaçari; dois a menos que o informado no último boletim

Sobe para 46 o número de pessoas com Covid-19 em Camaçari

Após reabertura do comércio, casos de Covid-19 disparam em Blumenau (SC)

Casos de AVC entre pacientes com Covid-19 fora do grupo de risco intrigam médicos americanos

Trump vê grave surto de coronavírus no Brasil quer fim de voos para os EUA

Repórter da Globo que luta contra o câncer é infectada com coronavírus

Sobe pra 40 o número de pessoas com Covid-19 em Camaçari

Mulher de 67 anos é a primeira vítima fatal do novo coronavírus em Camaçari

Sobe para 35 o número de infectados com Covid-19 em Camaçari

Prefeitura determina uso obrigatório de máscaras na cidade

Coronavírus - Camaçari chega a 25 casos confirmados nesta segunda-feira, 20

Camaçari registra 22 casos confirmados da Covid-19

Familiares de Elinaldo estão com Covid-19; prefeito não está em isolamento

Sobe para 18 o número de pacientes com Covid-19 em Camaçari

Hospital de Manaus empilha corpos de vítimas da covid-19 em contêiner

15 casos confirmados de Covid-19 em Camaçari; novo registro é do Ponto Certo

Sobe para 14 o número de pacientes com Covid-19 em Camaçari

Camaçari registra 1ª morte com suspeita de coronavírus. A vítima morreu na UPA da Gleba A

Pacientes curados da Covid-19 voltam a testar positivo na Coreia do Sul

Médica contrária ao isolamento social morre vítima de coronavírus no Ceará

Conheça os bairros dos 10 casos confirmados do COVID-19 em Camaçari

Fiocruz registra momento exato do ataque da covid-19 à uma célula no corpo humano

Coronavírus - Bolsonaro culpa repórteres por aglomeração, limpa nariz com braço e cumprimenta idosa

Brasil ultrapassa mil mortes por covid-19; 19,6 mil estão infectados

"Não é normal", dizem coveiros sobre trabalho em cemitérios de São Paulo

Coronavírus - Camaforró 2020 é cancelado por conta da pandemia

Vídeos - Corpos de vítimas do coronavírus passam dias nas ruas e em casas; urubus sobrevoam em hospital

Isoladas em casa, crianças necessitam de mais atenção para evitar acidentes com aparelhos elétricos e tomadas

Mandetta diz que permanecerá em ministério e volta a defender isolamento: “Vamos continuar”

Autônomo pode baixar aplicativo a partir de hoje para renda de R$ 600

Camaçari com a oportunidade de mostrar quão solidária é. Abrigo de idosos pede socorro

Saiba se está apto a receber o auxílio emergencial

Vídeo: Mini blogueira repercute com oração pelo fim do coronavírus: 'Preciso das minhas amigas'

Coronavírus - Se despedindo da direção da Saúde em Camaçari, Elias Natan anuncia outros casos confirmados.

Com dificuldade para respirar radialista Tony Paulo é transferido para o Couto Maia, em Salvador

Vídeo mostra eficácia da participação da população na redução do coronavírus no Brasil

Sobe para 4.256 casos confirmados e para 136 o número de mortos pelo coronavírus no Brasil

Coronavírus - The Intercept Brasil: "Todos viveremos a batalha de Milão (Itália)"

Morte de jovem de 16 anos por coronavírus comove a França

Vídeo - Policiais dançam música infantil para divertir povo em isolamento

STJ concede regime domiciliar a todos os presos por pensão alimentícia

Vídeo - Em rede nacional, Bolsonaro critica fechamento de escolas e comércio e compara coronavírus a ‘resfriadinho’

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br