Galeria de Fotos

Não perca!!

Nacional

Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ajoelhado diante de Edir Macedo - Foto: IstoÉ
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ajoelhado diante de Edir Macedo - Foto: IstoÉ

O presidente Jair Bolsonaro foi ungido neste domingo, 1, pelo bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, em culto evangélico ocorrido no Templo de Salomão, no Brás, região central da capital paulista.

O culto começou por volta das 9h30 e, às 10h10, Macedo chamou Bolsonaro ao altar, para fazer uma oração pelo presidente. O bispo pediu também aos milhares de fiéis presentes que orassem juntos.

A pedido do bispo, Bolsonaro se ajoelhou diante do altar e de costas para os fiéis. Macedo, então, começou contando que, no passado, ele convidou para ir à igreja um outro candidato presidencial, que acabou virando presidente, mas que não foi possível levá-lo. O bispo não especificou a quem ele estava se referindo.

Em seguida, disse que, desta vez, Deus escolheu Bolsonaro para liderar 210 milhões de brasileiros. Pôs as duas mãos sobre a cabeça do presidente, com o óleo para a unção, e, enquanto uma música triunfal subia e milhares de pessoas sussurravam em orações, afirmou: “uso de toda a autoridade que me foi concedida por Deus para abençoar este homem, para lhe dar sabedoria, para que este país seja transformado, que faça um novo Brasil”.

Bolsonaro se levantou, os dois se abraçaram e o bispo disse que Deus está com ele, sendo aplaudido pelo público. A unção durou 5 minutos.

O presidente desceu do altar e Macedo começou a criticar a imprensa, dizendo que a “mídia toda” está contra ele e contra o presidente. “Vivenciamos o inferno da mídia, mas eu estou aqui e o presidente está lá. Ele (Bolsonaro) vai arrebentar lá, não porque sou eu, não porque é ele, é porque é o espírito de Deus”, disse.

Antes de chamar Bolsonaro, Macedo chegou a fazer uma comparação entre Deus e o presidente. O bispo disse que Deus honra aqueles que o honram e que, para honrar Deus, é preciso crer na palavra Dele. “Hoje nós estamos recebendo a presença do presidente Jair Bolsonaro e ele foi eleito porque acreditamos na palavra dele”, disse. “Aqueles que perderam a eleição foi porque nós não cremos na palavra deles. Sim ou não?, ele pergunta aos fiéis, que confirmam.

Depois de receber a unção, Bolsonaro deixou o culto para fazer uma visita guiada pela igreja.

Pela manhã, antes de ir à igreja, ainda no Aeroporto de Congonhas, ele foi examinado pelo médico Antonio Macedo, o mesmo que conduziu a recuperação do presidente em função da facada que levou durante a campanha eleitoral do ano passado. Bolsonaro deverá passar por uma cirurgia, sem data confirmada pela Presidência, em função de uma hérnia surgida em cirurgia anterior.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro postou hoje foto na qual aparece ao lado dos médicos Antônio Luiz Macedo e Leandro Echenique. “Agora em São Paulo com os doutores Macedo e Leandro. Pelo o que tudo indica ‘curtirei’ uns 10 dias de férias com eles brevemente”, escreveu.

Veja também:

Revista Veja acha Queiroz: ex-assessor trata câncer no Albert Einstein

Bolsonaro quer suspender demarcações indígenas: 'É muita terra para pouco índio'

Homem detido ao tentar invadir Congresso já planejou esfaquear Bolsonaro

Bolsonaro chama doação do G7 de ‘esmola’ e diz que trocará de caneta pois ‘Bic é francesa’

Após polêmica com Macron, Bolsonaro apaga comentário sobre primeira-dama da França

Após interferência de Bolsonaro, CCJ da Câmara desengaveta proposta da autonomia da PF

Bolsonaro diz que só aceita ajuda do G7 se Macron retirar declarações

Brasil vai rejeitar ajuda para a Amazônia oferecida pelo G7

G7 anuncia liberação de cerca de R$ 91 mi para combater incêndios na Amazônia

Macron critica insultos de Bolsonaro e diz esperar que Brasil tenha 'presidente

'Comunicação falha do governo' abre caminho para ataques de concorrentes à agricultura brasileira, diz presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil

Juiz dá 72 horas para Bolsonaro explicar medidas para controlar queimadas

Glenn - é chocante a humilhação que Moro está disposto a engolir de Bolsonaro

Delegados da PF chamam nova lei de abuso de "estatuto da criminalidade"

Polícia Federal ameaça “implodir” se houver interferência de Bolsonaro

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br