Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Cidade

Segundo levantamento do centro, em 2019 surgiram 110 novos casos de HIV em Camaçari (Foto: Reprodução)
Segundo levantamento do centro, em 2019 surgiram 110 novos casos de HIV em Camaçari (Foto: Reprodução)

Por causa da pandemia de Covid-19 e as milhares de mortes de causadas pela doença no Brasil e no mundo inteiro, bem pouco se falou sobre outras doenças contagiosas e letais ao longo desse ano. Com a aproximação do Dia Internacional de Luta Contra a Aids (01/12) e a campanha Dezembro Vermelho, realizada em várias partes do mundo, outra epidemia volta a pauta: a de HIV/AIDS.

Epidemia que já dura 40 anos no mundo inteiro, a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS, sigla em inglês), causada pelo vírus HIV, é tema constante em ações de saúde, já que, embora seja de fácil prevenção, continua fazendo mais e mais vítimas todos os anos. Além disso, mesmo após décadas de estudos, a ciência ainda não conseguiu produzir uma vacina.

Em Camaçari, dados do Centro de Especialidades em Saúde (Cres) revelam a ocorrência de cerca de 100 novos casos a cada ano. “Todos os anos temos em média 10 a 120 novos casos na cidade. Isso pode e deve diminuir. Mas, para tanto é preciso que as pessoas se conscientizem da importância de usar a camisinha”, destaca  a coordenadora do Cres, Carla Bressy.

Ainda segundo ela, atualmente, 1.060 pacientes são acompanhados mensalmente pela equipe da unidade e 98% desses pacientes contraíram HIV por não usarem o preservativo em relações sexuais. Segundo levantamento do centro, em 2019 surgiram 110 novos casos de HIV em Camaçari. Este ano, mesmo com as determinações de isolamento e distanciamento social por causa da Covid-19, o número permanece semelhante: até o mês de outubro, foram registrados 90 novos casos.

HIV não é AIDS

Assim como ocorre com a Covid-19 e outras infecções virais, ter o vírus não significa que a pessoa obrigatoriamente irá desenvolver a doença. É exatamente aí que mora maior parte do perigo, já que qualquer pessoa soropositiva (que carrega o vírus, mão não desenvolveu a doença) pode transmitir o vírus em sequer saber que está colocando a vida de outras pessoas em risco.

Além da diferença entre ter o vírus (HIV) e a doença (AIDS), de acordo com o Ministério da Saúde, os primeiros sintomas da doença são muito parecidos com os de uma gripe, como febre, dor de garganta e mal-estar e podem ocorrer semanas depois da infecção. Por isso, a maioria dos casos passa despercebida.

Daí a importância de sempre usar camisinha em relações sexuais, mesmo entre namorados ou casados e procurar a unidade de saúde em caso de exposição ou suspeita de exposição.

Mas, o que é AIDS?

A AIDS é a doença causada pelo vírus HIV. O vírus ataca continuamente as células do sistema imunológico, fazendo com que elas parem de funcionar. Sem essa defesa natural, a pessoa fica exposta a toda sorte de outras infecções, chamadas doenças oportunistas, de forma que uma simples gripe pode se tornar fatal.

Não existe cura para a AIDS, mas o tratamento com antirretrovirais (ARVs), oferecidos de forma gratuita através do SUS para toda pessoa com diagnóstico positivo, pode retardar significativamente o progresso da doença, prevenir infecções secundárias e garantir total qualidade de vida.

Fique sabendo


Em Camaçari, de acordo com a prefeitura, são disponibilizados diariamente testes rápidos para detecção do HIV, sífilis, hepatite B e C na unidade do Cres, que fica localizado na Rua Oito de Dezembro, no bairro Dois de Julho, ao lado da Vigilância à Saúde, “Além dos testes rápidos, também realizamos o tratamento de todos os pacientes infectados com a distribuição dos medicamentos e acompanhamento com médico infectologista, psicóloga, assistente social, nutróloga e enfermagem. Também realizamos a distribuição de preservativos”, explica Carla Bressy.

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br