Galeria de Fotos

Não perca!!

Cidade

O funcionário da farmácia saiu no meio das chamas e conta que foi a única forma de se salvar. (Foto: Reprodução/Record TV Itapoan)
O funcionário da farmácia saiu no meio das chamas e conta que foi a única forma de se salvar. (Foto: Reprodução/Record TV Itapoan)

A tragédia na Farmácia Pague Menos completou um mês na última sexta-feira (23). O incêndio que que matou dez pessoas e deixou 13 feridos ainda está vívida na memória de vítimas e familiares que tentam superar o trauma vivido no acidente e lidar com a perda de amigos e colegas de trabalho.

O portal R7 conversou com funcionários da farmácia, que lidam com problemas psicológicos e sequelas físicas decorrentes do incêndio. Rubem Souza teve lesões no braço e está em fase de recuperação. O funcionário da farmácia saiu no meio das chamas e conta que foi a única forma de se salvar. Ele deve ficar seis meses afastado e diz que a situação está difícil de superar.

“Toda hora você lembra, eu não durmo direito, está complicado para dormir. Recebi uma orientação da psicóloga e vou fazer outras sessões até me estabilizar”, afirmou em entrevista ao portal.

Outro funcionário, Luís Fernando Miranda, enfrenta também problemas em função da inalação da fumaça. “Isso queimou a parte interna, relacionado ao pulmão, dificultando a respiração e veio, consequentemente, a pneumonia”, conta.

O local onde aconteceu a tragédia continua fechado e deve permanecer assim até o fim da perícia. De acordo com a titular da 18ª DT, Thaís Siqueira, delegada responsável pelo caso: as investigações já estão avançando e mais de 25 pessoas já foram ouvidas. A delegada espera no início do ano, já ter uma resposta do que teria provocado o incêndio, e identificar os possíveis culpados.

Veja também:

ERRATA: Farmácia passava por reforma no mezanino e não possuía alvará

Missa em memória às vítimas do incêndio na Pague Menos lota Catedral

Não havia obra na Farmácia Pague Menos

 Luís Fernando Miranda, também funcionário da farmácia, vai demorar para voltar à rotina. Ele conta que o seu problema foi com a inalação da fumaça. (Foto: Reprodução/Record TV Itapoan)
Luís Fernando Miranda, também funcionário da farmácia, vai demorar para voltar à rotina. Ele conta que o seu problema foi com a inalação da fumaça. (Foto: Reprodução/Record TV Itapoan)

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br