Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Antonio Franco Nogueira

'(...)Pois a verdade é que Deus fala, ora de um modo, ora de outro, mesmo que o homem não o perceba. Em sonho ou em visão durante a noite, quando o sono profundo cai sobre os homens e eles dormem em suas camas'  (Jó 33:14,15)
'(...)Pois a verdade é que Deus fala, ora de um modo, ora de outro, mesmo que o homem não o perceba. Em sonho ou em visão durante a noite, quando o sono profundo cai sobre os homens e eles dormem em suas camas' (Jó 33:14,15)

Em tempos de guerra, leva vantagem o exército que buscar entender os movimentos do adversário. O que, até certo tempo, era feito na pessoa dos batedores humanos, que iam sempre à frente, buscando entender o caminhar do oponente com vistas à enfrenta-lo melhor posicionado, o que era uma estratégia que, apesar da eficácia, quando não havia algum abandono do posto devido, desde pela corrupção à covardia que tomasse de assalto o sujeito pela esperteza maior do adversário, deixando espantada sua tropa pela morte nos olhos, ou reduzindo sobremaneira suas baixas, que não era possível à algumas legiões, e foi ficando cada vez mais obsoleta com uso de homens, apesar dos espiões ainda tão atuais, pois que, com tanta tecnologia, na disputa por essa vantagem, devido os satélites – que eles chamam de “olho” disso ou daquilo, computadores e misseis, passou a levar a melhor, em disparado, o exército dos países que tem maior capacidade econômica, apesar de contarem com uma margem de erro em seus lançamentos as vezes desastrosos, tanto de misseis quanto de satélites, assim como os bug’s comuns dos computadores. Fato.

Então, sendo convocado/a inevitavelmente a lutar contra o inimigo que intenta invadir tua nação, mas se quiser compreender como um invasor da tua casa, que você não consegue avistar sozinho/a, ainda melhor, seria desnecessário te perguntar em qual dos exércitos você escolheria lutar, se no que contava com o batedor ou se no exército “duro”, no desprovido dessa ferramenta, devido eu mesmo fazer por ti fácil a conta de que, doido/a que você não é, sua resposta será a minimamente razoável: sim, no das tecnologias devido ser menos provável de eu ser atingido/a.

Desse modo, para que você esteja atento/a ao que se seguirá, veja essa “outra” opção, tendo em consideração as previsíveis e calamitosas falhas tecnológicas de que você sabe, do exército que até aqui você escolheu como principal e, então, depois do que vê nessa Escritura logo aí à baixo, eu vou aguardar se sua nobreza confirma ou se muda, ao final de toda a leitura:

(...)O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes
(Deuteronômio 31:8)...

...Que é exatamente o que Esse Batedor, que não sem propósito é chamado de Senhor dos Exércitos em todas as Escrituras, tem todo ouro e toda prata de que você tem e não tem notícia, cujo olho está longe, sem medida, da menor artificialidade, conforme em nenhum satélite pode haver, que vai sempre à frente da Sua tropa e que não conta com a mínima margem de erro, preciso completamente em todas as missões que impõe, que jamais bugou ou bugará, tão pouco abandonou, abandonará, ou perdeu um soldado, à menos que cometam suicídio já que sempre lhes tem sido dado poder de escolha - e jogar pra cima o que está disposto no que contem esta mensagem pode ser-lhe imputado, vá saber, como um gatilho apertado por você na sua própria cabeça por desprezar o aviso que o Batedor está querendo te dar do perigo quase na cara, e que nunca perdeu ou perderá jamais guerra qualquer.

Aliás, Jonathan Edwards (Século XVII/XVIII), um que conhecia melhor do que muitos de nós a pessoa desse Batedor mesmo que jamais o tenha avistado humanamente falando, do Exército qual eu acredito que logo a frente você resolverá escolher fazer parte, sem deserção, claro, aqui com uma pequena adaptação minha, antes e depois das aspas, deixou dito, sobre as certezas de que só um suicida ousaria deixar de ter, que é que “a brevidade da vida, a certeza da morte, e a duração da eternidade” são de fato reais. Eternidade da qual somente os soldados dos exércitos amigos entre todos, farão parte - valendo registrar.

Então, com a descrição, da legenda da imagem acima, na mente, vem para o mapa:

A irmã Magali Amorim, serva a quem o Batedor que à partir daqui, vou Lhe dar, ora o nome ora o título que Lhe é devido, visitou com uma visão que, soldado d’Ele que você já for ou vier se fazer, e que muito te será útil hoje, vive em São Paulo mas é mais presente comigo no tocante ao Evangelho do que pessoas do meu convívio cotidiano, e isso decerto que tem um propósito. Ela veio para minha vida por causa dos sonhos, no caso dos dela, por indicação doutra pessoa também das bandas de lá, a quem, para variar, por sonho Jesus revelou que não seguiria na mesma pisada que ela, da mesma fé que a moça supostamente também é, e assim aconteceu. A criatura de fato desapareceu. Ela, a missionária Magali, a quem nunca vi pessoalmente e nem ela viu a mim, conforme a moça que nos apresentou teria recebido uma revelação de Deus sobre minha pessoa, mas mesmo ainda nada tendo me dito, já que, conforme disse, terá que me ser entregue pessoalmente, desde lá nunca deixou de falar comigo quase que diariamente.

Porém, à parte do que marcou a vida dessa missionária os sonhos que Deus tem lhe dado lá em São Paulo e revelado a mim aqui na Bahia, me desnudando sua história de vida, desde o convívio com seus familiares, e sua caminhada com Ele desde sua conversão, aos projetos mais guardados nos recantos do seu coração, como se Ele tivesse me colocando dentro de sua casa, como ela mesma diz, de tão claro que ficam os sonhos depois de esmiuçados pelo Espírito do Pai em mim - mesmo sendo eu um homem, um ser miserável frente à Sua imensidão sem alcance, e força que não se mede, isto para que não fique escusado que as interpretações não se trata de coisa de homem algum e então a pessoa que sonhou, se teme à Ele, procure agir, e se corrigir, não tomarei essa irmã como personagem dessa mensagem por nada do que já foi dito sobre a própria pessoa dela, ainda que ela faça questão de dizer que depois que passou a ser visitada em sonhos e visões, e receber de Deus a interpretação (ver Gênesis 40; 8) viu dar e tem curtido a guinada que sua vida tem experimentado, aqui traduzindo com minhas palavras, pela mudança que saboreia desde então como tem me confessado, ainda que sempre tento chamar a atenção de quem me lê para o erro que é uma pessoa desprezar os sonhos que tem sem sequer orar pedindo a Deus que esclareça se há ou não alguma mensagem neles, mas tomarei a pessoa dessa irmã como personagem por sua última visitação que recebeu, que aliás nem a comuniquei ainda por áudio sobre o significado, como sempre faço, mas saberá por este texto, por muito tal interpretação ser extensiva a você e a mim, e estar intrinsecamente ligada ao tema que eu já havia recebido de Deus para dar a tônica à próxima mensagem, no caso essa mensagem, depois do texto “O bom filho à Casa torna” - que sugiro que você leia se ainda não leu.

Sobre as multiformes maneiras de Deus falar conosco, e serem os sonhos uma delas, se você tem sonhado, não sendo sonhos gerados pelo cansaço do teu corpo, ou do teu muito pensar – o que nem sempre é fácil de distinguir, por isso os enigmas precisarem de que Ele mesmo interprete por meio do Seu Espírito através de quem Ele tenha levantado para isso (veja Jó 33; 14, 15 e pule para o versículo 23), que talvez seja você própria/a, dê glorias a Ele que é reconhecido pelo salmista como tão grande que até o Universo foi feito pelo dedos de Suas mãos e mesmo sendo nós o nada que somos frente a Ele, ainda assim temos sido visitados por Ele, que é o que acontece quando sonhamos, veja quão grave pode ser você sonhar e acordar pouco se importando em querer saber o que teria sido aquela visitação, o que seria o mesmo que virar as costas à uma pessoa importante na sua vida comum – ou, na guerra, virar as costas para o batedor, e de quem você depende, enquanto essa pessoa fala contigo, o que certamente te traria alguma nada agradável consequência. Agora avalie fazer pouco caso quando Quem fala contigo é Àquele que pode tanto te salvar da morte pela ação do Inimigo contra a tua vida e com o teu consentimento, quanto te condenar a morrer juntamente com ele, digo com o teu Inimigo, que já está condenado mas que ainda em franca batalha para te carregar com ele para onde ele vai, a depender da atenção que você dê ao Salvador/Juiz quando Ele fala contigo. Agora veja aí, logo à baixo, sobre a nossa importância frente a importância d’Ele e a moral que ainda assim Ele te dá quando você sonha, o que é o mesmo que ser visitado por Ele, enquanto um amigo que nem tão importante assim como você o avalia é, mas que nem na tua cara olha, depois a gente segue:

(...)Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites
? Salmos 8; 3,4.

Antes, como toquei no título do último texto que publiquei – que espero mesmo que você tenha lido e se não leu insisto que aceite a sugestão para que leia, saiba você que essa irmã de quem te falo, na resenha que me mandou após lê-lo, comenta dos “socos” que tenho dado “na cara do Diabo”, com cada uma dessas mensagens, conforme o próprio Jesus me disse mesmo que eu o socaria através da escrita, e voltou a falar sobre as visões que ela tem tido comigo, onde o Salvador lhe tem mostrado minha pessoa escrevendo com as mangas da camisa arregaçadas, costume que nem tenho, enquanto uma luz aponta para o meu rosto enquanto eu escrevo – o que indica que quando escrevo o que eu estou escrevendo vem d’Ele para mim, que é Quem me inspira de fato, por isso a luz saindo da mesa do computador (presumo que do teclado) para o meu rosto, e não o contrário, logo não sai de mim para você e sim d’Ele para nós dois. No que eu acredito piamente haja visto as cobranças d’Ele a mim, quando demoro de escrever e de publicar os textos, que na verdade é a forma como trabalho na Sua Obra– por isso as mangas arregaçadas, o que, somado ao que eu já te mostrei, é um indicativo de que você não deve mesmo fazer essa leitura despercebidamente, e muito menos comendo pipoca alguma.

O tema do texto, conforme você já sabe, é Inimizade - e suas consequências. Mas vamos logo ao que o Salvador mostrou à missionária, que muito nos diz respeito.

- Irmão, sonhei que eu andava numa plantação de milho, bem verdinha, e alguém do meu lado, que me acompanhava sem que eu visse o rosto, me dizia: “Olha, aqui é uma fileira de milho; aqui é uma fileira de cana”; a cana era daquela roxa, mirrada, de gomos curtos, e cheia de nó. De repente eu já me via olhando a plantação, de lá do alto, tipo das nuvens, de onde eu via, dum lado um trecho dos pés de milho todo amassado, como se amassado por uma ventania, e do outro lado, uma carreira de cana em pé, e adiante da carreira de milho caída, outra fileira de milho em pé; e do outro da alameda, mais outra fileira de cana também em pé. Não havia cana amassada, como eu via amassado os pés de milho. Daí eu descia, ou era descida por alguém que eu não via; e nós, eu e a pessoa, caminhávamos entre as fileiras de milho e da cana. Então, se referindo ao milho, uma voz dizia assim: “Ainda bem que não amassou tudo“. Então eu saia dali com essa pessoa; e noutra fase do sonho eu já me via num lugar onde havia outra plantação somente de milho, não havia cana, só que nessa os milhos estavam maduros, secos, prontos para serem colhidos. Então eu via outro homem, de quem no sonho eu parecia gostar muito, e de quem eu também não via o rosto, vestido de roupas claras ele e eu, segurando na minha mão e nós passeando entre o milharal, muito feliz os dois; as nossas roupas parecia se confundir com as palhas do milho que seria colhido. No sonho era como se eu me visse na cena dum filme. Então a voz falava assim: “Fim”.

Mas o que terá a ver esse sonho dessa missionária com Inimizade, que é o tema do texto? Talvez te ocorra a pergunta, dado nada parecer ter a ver com a questão, nem o milho amassado, nem o milho intacto, e tão pouco as fileiras de cana em pé. E menos ainda com guerra qualquer. Ao que eu, te sugerindo exercitar sua paciência, uma das virtudes dos bem-sucedidos dos campos de batalha, devido outros elementos que fazem parte da situação, dos quais é importante você saber antes, para que compreenda melhor depois, te convido a vir comigo, para apurarmos isso juntos.

Uma pausazinha

(...)Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga.

E, quando já o fruto se mostra, mete-se-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa
. (Marcos 4:28,29).

Em frente

Certamente que você já leu ou ouviu falar sobre que no evangelho de João 1; 1, o apóstolo diz que Jesus era - e é, o Verbo, ou a Palavra de Deus, e que “o Verbo estava com Deus”. Mas se sim ou se não, tente acompanhar comigo o raciocínio de que em toda as Escrituras, o Espírito Santo, pelas mãos de quem às escreveu, como faz com os sonhos, usa uma metáfora atrás da outra para nos passar suas mensagens, como quem quer fazer que nos esforcemos para que O compreendamos. Não à toa as Escrituras permearem os cultos judaicos e cristãos por milhares de anos sem que jamais tenham se esgotado. Então, sobre isso de que “o Verbo ESTAVA com Deus”, o que tenho para dividir contigo antes de avançarmos, é que, conforme me foi revelado num dos momentos que eu meditava nessa passagem, antes de a citação querer dizer, puro, e simplesmente, que ali se trata de a Escritura falando de Jesus ao lado do Pai na hora da Criação, diz sobretudo que “o Verbo estava com Deus, ou a Palavra estava com Deus, no sentido de que, de forma simples, assim como numa reunião, quando alguém passa o microfone para quem à presidirá, dizendo estar com aquele sujeito a palavra a partir dali, também naquele registro, o que diz é que a Palavra estava com Deus, no sentido de que Deus, que é a própria Palavra, tinha, sempre teve, tem e terá a Palavra, ou seja, diz que Deus está FALANDO! Então que cale-se diante d’Ele toda a terra quando Ele fala. E Ele ainda hoje fala, e falará, como falou, Haja, e houve, Haja, e houve, sim, Haja e tudo passou a existir, inclusive as Escrituras um tempo mais adiante, conforme à conhecemos como sendo de autoria do Espírito do Filho no Pai e do Pai no Filho falando conosco através dos Seus servos que foram usados para escrevê-las inclusive com Seus mandamentos. Como Ele manda que nos calemos enquanto Ele fala por essa mensagem que foi escrita por ordem d’Ele e sendo lida por sua caríssima pessoa. O que te chama a evitar as conjecturas enquanto estiver lendo, com o fim de que você não passe batido, quer dizer, deixe de compreender o que Ele está tentando te falar, que é o que acontece quando a gente, ao passo de aquietar e ouvir também fala enquanto alguém fala conosco. Isso posto, vem para o demais.

Mas espera, só para descanso das vistas:

(...)Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.

Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros
. (João 13:34,35).

E ainda, já que cabe:

(...)Então o Senhor me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna-a bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo
. (Habacuque 2:2).

Sigamos...

Todavia, para que você não perca o fio da meada, chamando aí à lembrança das multiformes maneiras de o Senhor dos Exércitos falar com Sua tropa, de certo que você é sabedor/a, e se não for tem perdido tempo se não tem meditado nelas, de que todos somos reputados pelas Escrituras, como Plantação de Deus, conforme vê-se em Isaias 61; 3. Você também sabe, assim creio, que em João 15 o Filho de Deus se classifica como sendo Ele mesmo a Árvore principal e à nós, Seus servos, como sendo os galhos n’Ele; logo, tanto Ele quanto nós somos feitos “plantação d'Ele” [vá juntando aí as peças, para não se perder].

E, olha, voltando ao sonho da irmã, já que a proposta do Batedor é advertir para que nenhum dos soldados caiam nas armadilhas do Inimigo, eu não sei o que acontecia, ou eles apenas reproduziam a você o que ouviam no tempo passado, quando você era criança; porque teus pais e avós te diziam e tu acreditava, que “Jesus estava voltando”, sendo que até hoje não O vimos voltar coisíssima nenhuma. E acreditar “nessa conversa” tem sido cada vez mais difícil, se é que ainda há quem se arvore a acreditar e a dizer que “Jesus está voltando”, devido ao descrédito que a afirmação encontrou em não poucos corações que um dia creram “nesse papo”, mas posso te assegurar, pelo ministério que Deus me confiou nesse negócio dos sonhos, pelo cenário usado e palavras ditas nessa visitação que a missionária Magali experimentou, e pelas experiências que eu mesmo já vivi com Cristo através desse tesouro de ferramenta, conforme já te disse, que Ele tanto tem usado e não pouca gente tem desprezado, que vi confirmado na minha vida real, que eu prefiro traduzir para atual, várias vezes logo que me converti, tendo o Céu e os Anjos por testemunha, o que creio que Ele fez que acontecesse como aconteceu – digo das realizações que os sonhos apontavam e que aconteceram, para que eu acreditasse no mistério dos sonhos proféticos com que Ele logo permearia o meu trabalho no Evangelho, conforme registros no livro “Crônicas dum carteiro de Deus”, que lancei em dezembro passado, te garanto sim que o que Ele está dizendo nesse sonho da missionária, digo no fechamento da visitação, e que nem carece de qualquer interpretação, direto que Ele está sendo, salvando as profecias ainda a se cumprirem, profecias essas que já começaram a se cumprir, é que “Acabou o Tempo” mesmo! Por isso Ele diz “Fim” ao final do sonho diante daquela plantação que a irmã vê “pronta para a colheita”, e por isso os dois estão “muito felizes” entre o milharal, alegria e personagens que representam, ela a Igreja em vias de ser arrebatada/colhida, e Ele o Noivo em vias de enfim se casar com a Noiva por quem fez o sacrifício que fez, por que (...)Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito (Isaías 53:11), por isso a felicidade dos dois na segunda fase do sonho e as roupas que tanto Ele quanto ela vestiam se confundiam com as palhas dos milhos. Mas calma, não fica zonzo/a não, que tu tontear agora é prato cheio pro adversário, que o que você tem que fazer é ficar esperto/a, tenha calma.

Mas por que, aqui fazendo por você umas perguntas que logo te responderei antes que você me pergunte, se na segunda fase do sonho Ele queria nos dizer que estamos no Fim se, e,  01 – por que razão então Ele montou o cenário como montou a primeira fase da visitação, onde ela via uma carreira de pés de milho toda amassada, e caída, e depois uma carreira de milho em pé, e do outro lado da alameda uma fileira de cana após a outra, todas em pé, diferente do que se dava com a primeira leira do milho? 02 - Por que a cana era roxa, xoxa, mirrada, e cheia de nó? 03 - Por que o Anjo a eleva e mostra à ela a plantação lá do alto e depois a desce até o meio da lavoura? 04 - Por que ela era levada a observar que eram “verdinhos” os pés de milho na primeira fase do sonho, e logo em seguida, na segunda fase, o milho estava seco, “maduro”? 05 - Por que o Anjo dizia “Ainda bem que não amassou tudo”? 06 - Por que ela observava que tanto ela quanto Ele vestiam roupas claras? 07 - E por que terá sido, que ela foi levada a notar que era como se ela estivesse se vendo na cena dum filme?

Mas se você estiver inquieto/a com minha insistência em te contar ainda sobre esse sonho dessa irmã - que por isso mesmo te digo na abertura do texto que muito te ajudará, já que tu já sabe do Tempo acabando, e se você não creu creia, se é sobre que como a inimizade abriria a porta para o Inferno, o assunto que de fato deve ter te interessado, mas tenha calma que logo você será satisfeito/a em sua curiosidade, quando aí sim, sua nobre – ou pobre, pessoa, cabendo a você mesmo/a fazer essa conta, sem se esquecer de que o Salvador é Mestre em transformar o que não presta em coisa fina, e gente covarde em soldado valente, terá motivo de sobra para inquietar tua alma, até que com a ajuda d’Ele você se livre não somente da essência do termo principal que abre a frase do título desta epístola, quanto também de cada munição derivada, ou tijolos que constroem o edifício da tão mal fadada Inimizade

Então, muita atenção para as figuras de linguagem que o Espírito Santo usa para falar conosco - plantação de Deus, na interpretação do demais no sonho da missionária.

De que era um Anjo aquele homem que andava com ela você já sabe – e atente para o fato de que ela o identifica como um homem comum, o que indica que não se deve, sem motivo claro, desprezar as pessoas que te falam do Céu, posto o perigo de você estar rejeitando um/a mensageiro/a de Deus, o que não ficará sem consequências no final das contas. Agora, a plantação, tanto na fileira do milho quanto da cana, representa o povo no mundo à quem o Evangelho já foi e ainda deve ser pregado – os que ouviram e cream, os que ouviram por ouvir e os que não ouvem de forma nenhuma; a irmã que sonhou, somente confirmando, representa a Igreja espiritual, e talvez isso te inclua, à quem está comissionada uma tarefa, por isso ela é elevada ao alto para que vislumbre a situação em que se encontra o Evangelho em que ela está inserida, para que entenda - o que lhe tem sido, e ainda será, mostrado de forma sobrenatural, a saber, também pelos sonhos e visões, por isso a elevação ao alto, lhe mostrando onde terá que agir, à quem é dada o serviço de advertir o povo de como a coisa está e de como será, por isso o Anjo a traz de volta à lavoura depois de lhe exibir o cenário; mas te clareando, a primeira fileira de milho, que aparece amassada, indica as almas dos 'crentes' que pereceram (e perecerão) pelo caminho, os que ouviram por ouvir; também as que se deixaram, e que se deixarem, levar por todo vento de doutrina, juntamente com as que desobedeceram e desobedecerão, em suma, que se fizeram e se farão passar por trigo mas que na verdade são joio, por isso os pés de milho caídos (Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? (Hebreus 3:17,18) – acontecimento que é sombra do futuro, indicando que tudo se repetirá, ainda mais com a preciosidade do sangue que foi derramado sendo desperdiçado; a segunda fileira de milho, que aparece em pé mais adiante, são as almas remanescentes – inclusive as que já dormem nas sepulturas, cujas almas estarão de pé diante do Senhor, as almas que perseveraram (e que perseverarão), que resistiram e que resistirão, desde aos ventos das falsas doutrina à tudo que gere inimizade para com o Criador – por isso o Anjo diz que ainda bem que não amassou tudo, já que Ele sabia da colheita logo ali adiante; a fileira de cana, que ela observa em pé ao lado da fileira de milho, representa o povo do mundo, de cerviz dura, que anda à margem de tudo que diz respeito à Deus, no que se inclui os perseguidores do povo santo, por isso o Anjo observando como uma sendo fileira de cana e outra de milho - e cana daquela qualidade, xoxa, mirrada, e cheia de nó (pelas costas), cana, que quebra mas não enverga, não se curva, que é individualista, que só tem um olho, logo não enxerga direito (e olho mau, olho que fere quem se aproxima – que espeta até quem tenta replantá-la), que é de olhar altivo, de pescoço duro, ou cangote grosso, que, com o propósito de Ele falar com certo tipo de gente, que tem insistido em engrossar as fileiras dos soldados inimigos, justamente ela foi a escolhida para a ilustração; cana que, conforme a Ciência tem a mesma origem, pasme, do milho [o que justifica um monte de gente dizer que também é ‘filho de Deus’ mesmo que insista em não enxergá-Lo – quem tem ouvidos ouça] – cana para quem o milho caído deve servir de exemplo (Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também. Romanos 11:21 – aqui salvando a proporção devida da passagem, e incluindo o crente de cerviz dura que lhe couber, que diz que é de Cristo mas que na verdade é um soldado espião), a quem não caberá a salvação; os que não participarão da gloria, por isso ela não via nenhum pé de cana na segunda e última etapa do sonho, onde o milharal estava pronto para ser colhido, ou arrebatado, se você continua atento que também naquele ponto o milho maduro representa pessoas...; e claro que você já notou que o homem com quem ela se vê de mãos dada, é o próprio Salvador, por isso a felicidade dos dois; e a roupa clara, tanto d’Ele quanto dela, aponta o tipo das vestes que deve ter a Igreja, Sua Noiva, quando Ele vier também de branco, para busca-la, por isso as vestes dos dois se confundiam com as palhas dos milhos – que representam as vestes dos salvos; e a cena dum filme que ela compara à experiência que vive na visão, não será preciso eu te dizer que, como acontece nos tribunais desse mundo, como se vê nos julgamentos nos filmes, é Jesus Cristo nos dizendo que também Ele tem o registro das imagens de tudo o que fazemos aqui, para que a Ele prestemos contas de tudo no Fim de tudo, ou precisa?

(...)Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. 2 Coríntios 5:10.

(...)Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.

E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.
(João 5:28,29).

Até cabe dividir contigo um mimo que Jesus Cristo me deu quando eu meditava na Escritura aí à baixo, que foi que, sendo a mulher samaritana, da fonte de Sicar, uma figura da Igreja gentílica, a sua fala aos demais da cidade, sobre os seus segredos de adoração à seus 6 deuses pagãos (deuses pagãos, e não homens, maridos, comuns, conforme você tem ouvido pregar), descobertos a ela por Jesus, representa justamente que será exatamente como você leu aí acima, em 2 a Coríntios 5;10 e João 5; 28, 29, que TUDO o que nós, a Igreja, fazemos, está sendo visto por Deus, e de tudo daremos conta, desde uma atitude a um pensamento. Por isso ela diz que Jesus disse “tudo o que ela tinha feito” que ela jamais imaginou que estava sendo vista por alguém que ela jamais vira. E, é mesmo, aquilo não está escrito assim ali à toa não - recebe:

(...)Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito.
Porventura não é este o Cristo?
João 4:28,29

E aqui a emenda:

(...)Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons
. (Provérbios 15:30.

Ficou fácil, né? É por isso que é dito, que a Bíblia traduz a própria Bíblia. O problema é que ela se fecha para a turma que toca nela sem a devida reverencia, e aí fica um bocado de gente boiando, sacou? Reverencia, reverencia sempre que for abri-la, é a dica!

Não, eu não me esqueci da parte que o Espírito leva a missionária a observar que o milharal que ela avistava em pé logo adiante era “bem verdinho”, caso você tenha pensado assim. Na verdade, foi de propósito que deixei aquela parte para depois dessas outras duas pausazinhas e dessa provocada aí acima, se bem sei do desrespeito de não poucos no manuseio do livro santo, pois queria conferir se você não está mesmo lendo a mensagem comendo pipoca ou de vez em quando dando uma espiada na tua tevê, pois que, de fato faltou a interpretação do por que quão verdinho ela era levada a observar o milharal antes da parte do milho pronto para a colheita:

(...)E vós vereis e alegrar-se-á o vosso coração, e os vossos ossos reverdecerão como a erva tenra; então a mão do Senhor será notória aos seus servos, e ele se indignará contra os seus inimigos. (Isaías 66:14).

E então, além da direta que Ele dá “à turma do canavial”, ou se preferir, do exército contrário no final do versículo, notou aí na passagem o que o Anjo queria que a Igreja, na pessoa da missionária – e na de quem mais couber, soubesse e propagasse como acontecerá ao Seu povo quando formos salvos? Se você não percebeu que o “reverdecimento dos ossos” de que a passagem fala aí acima, como seria comum à uma tropa em terreno cercado de inimigo sentir quando vir chegando a cavalaria para resgatá-la, é exatamente o que significa o milharal verdinho que chamou a atenção da irmã, proclamando que seremos replantados por Deus logo que formos resgatados/ressuscitados, ou transformados, por isso “ossos reverdecidos”, ou alma cheia de alegria, mas se você não tiver mesmo comendo pipoca enquanto lê, pelo menos, se não se tratar sua excelência dum/a inimigo/a da leitura bíblica, sua nobreza deve ter notado a ligação do momento do milho seco, pronto para ser colhido, no final do sonho, com o “reverdecimento dos ossos”, como uma analogia clara do final dos tempos chegando de fato, já que a Escritura onde está disposto que os ossos dos salvos serão reverdecidos como a erva tenra” (como é o milho quando bem verdinho, lembra?), e encontra-se registrado justamente no livro do profeta que não anunciou desde o primeiro ao último capítulo somente a vinda do Salvador mas também sobre e x a t a m e n t e quando iniciará o Fim do filme, ou melhor, o Fim dos tempos, citação que não por qualquer coincidência se encontra exatamente no último capítulo do livro desse profeta, o 66, essa festa de certo que você não quererá perder. Aliás, na configuração da Bíblia que o evangélico usa, de Gênesis, o começo de tudo, a Apocalipse, quando será o fim de tudo, contem exatos 66 livros. Por que será? É uma boa pergunta, mesmo que não haja nada demais. Mas como o Criador diz que tudo o que acontece, acontece perante o olhar atento d’Ele, o melhor dos batedores que, se fazendo um de nós, não somente jamais se corrompeu quando foi pego pelos soldados do exército inimigo, sabedor da missão que tinha, de salvar o Seu Exército, depois de apanhar tanto e de sofrer até cusparada na cara, se submeteu, calado, ao sacrifício de que você está careca de saber, dando até a Sua vida em favor de Sua tropa, para então, ressuscitado e glorificado, celebrar conosco a vitória imposta à Morte:

(...)Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. Isaías 53:7.

E do que você tem lido, de antes até o trecho oficial aí acima, antes de continuarmos o que não pode sair da sua mente é que foram os próprios oficiais Seus que o traíram, apesar de eu não ter te contado até aqui, mas as Escrituras contam, O jogando nas mãos do Inimigo por questões loucas, tipo pelo poder político, pelo poder econômico, por vaidade de vaidade, como diz o rei Salomão, e por aí vai. E sabe de qual linhagem eram aquela turma, desde os graduados aos da ralé? Ganhou um doce se disse que “da touceira” do milharal caído (e se a cara ficou vermelha pode) à um bocado da fileira de cana que você viu lá atrás, caminhando de pescoço duro.

Então, se tu se espantou, vem comigo aos finalmente

Você já viu que no sonho da missionária Jesus mostra a quem for “cana” – doce como via de regra ela é, a visitação diz aos que, se achando “o/a tal”, e por isso não se curvam à Quem deve e como deve se curvar, sua suposta doçura não vai lhe bastar para estarem no lugar e na hora da Colheita, mas o/a tal deve também se lembrar que viu escrito mais acima que há Um que é Mestre em transformar o que não presta em coisa fina e gente covarde em soldado valente – de fato. Assim, COM TANTO QUE Ele TEM FALADO, a pergunta aos “doces do canavial”, como também ao pessoal da “primeira turma” do milharal, aqui aumentando o tão necessário tom, visto tanta gente dormente na linha de tiro do inimigo, é sobre se vocês continuarão nesse torpor espiritual, nessa letargia, nessa inércia, nessa indiferença, ante o perigo real da Condenação, se portando como se surdos fossem, com são surdas as serpentes, se é sabido que os dessa linhagem e nem seus imitadores, não entrarão no Reino se não reconhecerem sua miserabilidade frente ao Criador, Lhe suplicando por clemência, preferindo continuar como Seus inimigos, já que a ordem d’Ele foi para que fosse pregado a Sua Salvação à “toda criatura”, se esta condição, quer você acredite quer não, te levará a meter na fechadura e abrir, com tuas próprias mãos, a porta de acesso ao inferno, se tu é sabedor/a também de que o indivíduo não vive sem comer e sem beber o que apodrece no ventre e é lançado fora, e tão pouco aguenta com três dias de gripe e ainda com o exemplo estrondoso que essa outra “gripezinha”, conforme chamou nosso presidente da República, mas que assina por Pandemia, tem dado por todo o mundo? Vai mesmo insistir nessa tua loucura, achando que isso vai ficar barato depois de tanto sangue que Ele derramou para ter 'tua amizade'?

Agora vem cá você, que está seguro/a de que já “é de casa” e está salvo/a ora essa:

Lembra que te contei, no referente ao que representa a fileira de milho caída, ser que se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também? Pois é, eu não sei se você é afeito/a à leitura bíblica – e se não for o problema não será meu se tu souberes ler, mas há os que sabem dos milhares que, durante a travessia do Êxodo (isto de que vou te falar, porém, se registra em sua plenitude no livro de Números 16), do Egito para a terra prometida, sendo hebreus, logo não da linhagem dos adotados, como é o meu e o teu caso, judeus que não somos, a quem é referido como “ramos naturais”, caíram no deserto (aliás, conforme a Ciência botânica, existem 12 mil espécies de milho no mundo, então por que teria sido usado justamente esse cereal no sonho da missionária? Matuta aí), sendo todos membros de algumas das 12 Tribos, por inveja, ciúme, e insubordinação ao servo que Deus tomou por cabeça sobre o povo, para tirá-lo da escravidão no Egito, a saber, Moisés, alguns inclusive da tribo de Levi, capitaneados por Coré, Datã e Abirão, que inclusive faziam parte do Conselho da congregação, como cobras surdas, ainda que todo o povo ouvia a voz de Deus quando Ele falava com Seu servo fiel, deixando patente a sua intimidade com o Criador, o que deve nos servir de exemplo, porém não somente da atenção para com a insubordinação, mas também para com a voz do engano, para que não fiquemos fora da Colheita, doutra forma Jesus não daria, nos dias atuais, o cenário que deu no início do sonho da missionária Magali. Mas espera, deixa eu fazer mais uma pausazinha, que fiquei sem assunto:

(...)Então Moisés levantou-se, e foi a Datã e a Abirão; e após ele seguiram os anciãos de Israel.

E falou à congregação, dizendo: Desviai-vos, peço-vos, das tendas destes homens ímpios, e não toqueis nada do que é seu para que porventura não pereçais em todos os seus pecados.

Subiram, pois, do derredor da habitação de Coré, Datã e Abirão. E Datã e Abirão saíram, e se puseram à porta das suas tendas, juntamente com as suas mulheres, e seus filhos, e suas crianças.
Números 16:25-27.

(...)Abriu-se a terra, e engoliu a Datã, e cobriu o grupo de Abirão. (Salmos 106:17).

Ah, lembrei. Era que, já que eu disse aos imitadores e aos descendentes das serpentes, que se eles, se reconhecendo pecadores miseráveis frente à grandiosidade de Deus, que Jesus os transformaria em coisa fina, eu estava querendo me recordar sobre que, conforme no profeta Ezequiel 18, a partir de Jesus os pecados dos pais não seriam pagos pelos filhos – e vice-versa, justo por saber da agonia de alguns quando visse na pausa proposital – aqui me desculpando contigo pela brincadeira estratégica, quando você visse que a terra “engoliu Datã e Abirão, e Coré, o principal, junto com eles”, se no vesso 27 aparece à porta das tendas “suas crianças”, posto que as Escrituras registram que toda a casa daqueles pereceu (...)Mas os filhos de Coré não morreram. (Números 26:11). Não sendo citado, porém a preservação das esposas de entre os 250 que morreram naquele momento, o que indica às mulheres dos que praticam iniquidade nos dias de hoje, botarem também elas suas barbas de molho e não prevaricarem, se portando coniventes com os erros dos seus maridos, o que será reputado como Inimizade contra Deus no dia do Juízo. E você já sabe da história “da chave”. Se ligue.

Ah, até cabe te perguntar, se você me conhece – mas se não conhece decerto que alguém, porém espero que dos de entre os justos, te falará de como sou nos pés do Senhor, sobre se você já ouviu que Jesus “advoga em favor dos seus, e tudo suporta”, nas pregações por aí? Já? Eu também! Mas, à mim a quem Ele mesmo chamou de AMIGO há coisa de dois anos,, me vendo no reme, reme, termina, não termina, publica, não publica o texto, esse texto, entre algumas outras tarefas que d’Ele eu tenho recebido, porém sem executá-las CONFORME Ele me tem mandado, ao orar, Lhe pedindo perdão, misericórdia, pedindo também ainda mais alguma revelação para acrescentar à mensagem, e prometendo que terminaria e publicaria o texto – texto que Ele mostrou em sonho a uma irmã, no interior da Bahia, que eu estava escrevendo, e a irmã, que prefigura a Igreja à quem esse texto está sendo escrito – já tendo confessado ou que ainda não,  expressando que se alegraria muito quando o lesse, sobre o que você concluiria desse enigma, na resposta que Ele me deu, na noite passada, na mesma noite da oração?

- Me vejo olhando, preocupado, para uns cheques que eu havia passado, pré-datados, no momento que eu passava mais um cheque a uma pessoa que eu não via no ambiente do sonho; quando me percebo, no sentido de afastar o talão de cheques de mim, pondo o talão, que noto ainda com algumas folhas, num lugar alto, mesmo que eu tenha estado em pé no chão, mas que não consigo definir se numa prateleira ou se sobre um armário. E ponto.

Sabe, irmão/a, não acredite em tudo o que anda te dizendo que tem pregado a você, se nisso não tiver que o padrão de exigência de Deus para o povo a quem Ele comissiona uma tarefa, é extremamente alto.

- Todos sabemos que quem passa cheques pré-datados, até que os cubra, estará se endividando. Está pegando? Pegou também Ele me dizendo que meu débito com Ele não era pouco, no fato de serem vários cheques, e por isso eu não via para quem eu passava o cheque? Notou Ele dizendo que eu terei que dar conta do meu débito? Notou Ele me dizendo, que eu tenho que me preocupar em Lhe pagar o que eu devo? Notou Ele me dizendo que eu não deveria acrescentar mais dívida nenhuma a mim, na hora em que o talão é posto num lugar alto – “longe do meu alcance” e não numa gaveta qualquer? Mas percebeu que o fato de eu me observar colocando no alto o talão, porem pisando no chão, quer dizer eu, se quiser insistir no erro da prevaricação, seria bastante eu me esticar um pouco e o talão estaria de novo em minhas mãos? Se você percebeu mesmo o que Ele quis dizer nessas curvas, é por que sua nobreza não está mesmo comendo pipoca nesse momento. Mas se não notou que a conversa aqui também é contigo, já que, além do recado à nós dois no sonho, eu havia lhe pedido um acréscimo para a mensagem, sabedor que é de que o inseriria aqui, é por que, tudo bem que você não esteja comendo pipoca, mas que você se distraiu nessa passagem, não creio que dê para negar. Mas há uma chance de o/a irmão/ã se redimir, na parte em que eu coloco o talão “num lugar alto”, se você concluiu que, em caso duma recaída, para pegar o talão, por isso que eu percebo ainda com folhas de cheque, eu teria que olhar para Cima – por isso não era numa gaveta que eu o colocava, certamente era Ele me dizendo, ou melhor, nos dizendo, que quando formos repetir os mesmos erros, é bastante olharmos para Cima que Ele nos socorrerá, já que todo cuidado é pouco quando se está numa guerra! Concluiu assim? Tomara.

E que nos sonhos, quando vai nos traduzir Ele usa os mesmos vícios de linguagem que usamos, para nos facilitar a compreensão, você sabia? Pois é, usa mesmo. Então, o que é que você diz a alguém que está fazendo você desperdiçar o seu tempo, não é que “tempo é dinheiro”? Pois, pois. E de quem é o tempo do crente, cuja alma foi comprada por um Alto Preço, é dele ou do seu novo Senhor, que a comprou? Entendeu agora, do porquê cheque pré-datado, cheque que só se resgata com dinheiro? Então, se for também o teu caso, deva quanto dever, torne logo atrás que ainda dá tempo, e é tudo o que Ele quer, não desperdice o tempo d’Ele, busque remi-lo, digo remir o tempo que ainda está à tua disposição, se ainda somos como escravos, comprados a preço de sangue, senão, senão... 

[Remir o tempo - em algumas traduções esta expressão aparece como "aproveitando cada oportunidade". Assim, remir o tempo tem o significado de ter poder sobre o nosso tempo, resgatá-lo e usá-lo com sabedoria para as coisas que são verdadeiramente importantes]

(...)A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lha anunciarás da minha parte. Ezequiel 33:7.

(...)Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva.
Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel
? (Ezequiel 33:10).

Ah, mesmo que eu não escapatória de não reconhecer as minhas faltas, conforme Ele mostra ao mundo nesse sonho do cheque, eu nem te contei que meu dia começa e acaba com o Evangelho na mente e nas mãos, seja pela meditação bíblica, seja pelo computador, seja pelo WhatsApp, mas deixa isso pra lá...

E aqui, enfim a razão do título da mensagem para quem, apesar das não poucas diretas do Espírito de Deus à Igreja, estivera lendo o texto distraidamente sem esquentar a cara, se a este/a couber o que se seguirá, que vinha lendo e dizendo “viu, isso ou aquilo é com fulano/a, sem perceber que a “panela” que me diz ser o sonho da missionária, certamente que me haveria de ser dado a tampa dela, e aqui está:

(...)E no mesmo dia, Pilatos e Herodes entre si se fizeram amigos; pois dantes andavam em inimizade um com o outro. (Lucas 23:12).

No que envolveu Coré, Datã e Abirão, que se refere àquela leira de milho caída, e ainda se aplicará a tanta gente ainda, por ter buscado inimizade contra o próprio Deus, O irritando, conforme em Números 16; 30, quando procuraram contenda contra Seu servo, ao amaldiçoar aqueles homens, julgando-os e condenando-os à morte com execução imediata, onde diz a Bíblia que daquela forma se deu para nos servir de exemplo, ao que te peço que volte depois e medite em todo o capítulo 16 do livro de Número, Moisés decretou aquele juízo com a aquiescência de Deus, e expressa que o que se daria deveria servir como prova – das tantas que já haviam tido, claro, de que ele não falava em seu próprio nome, mas a mando do Pai, como esse pobre servo, salvando a devida proporção, seguro e com temor e tremor, te diz que ocorre também comigo, quando te trago o que tenho te dito nesse texto, o que você, assim confio, não deve esperar para perceber que assim se deu, tarde demais, peço que reflita e se puder não leia apenas uma vez essa mensagem, mas também outra e outra vez, assim como a recomende a quem o Espírito te sugerir.

Então, esperando que você tenha prestado atenção em que – e esse, à parte do que demais envolve a situação do episódio da condenação de Jesus, onde foram os próprios crentes dos altares que conspiraram para a crucificação do Salvador, o versículo 12 de Lucas 23 é o que me foi dado por Ele para que me servisse como tônica para o texto, onde Herodes e Pilatos, que eram inimigos, fizeram as pazes naquele dia, quando Ele estava sendo julgado, as perguntas serão cinco

01 -  Se as mensagens bíblicas foram inspiradas pelo Espírito do Senhor dos Exércitos, para que fim teria sido o registro do verso 12 de Lucas 23?

02 – Você notou o tempo que Jesus esteve, tanto com Pilatos quanto com Herodes?

03 – Pilatos e Herodes, eram convertidos a Cristo?

04 – Percebeu que a inimizade que havia entre os dois, acabou, conforme o registo, no mesmo dia?

Notou? Então vai a quinta:

05 – Se Herodes e Pilatos, soldados do exército inimigo, que não eram crentes, são levados a fazerem as pazes, numa inegável obediência à uma intervenção divina, já que Jesus iria nos revelar o que me revelou quando eu fazia a leitura da passagem, me mandando escrever a você, onde Ele me mostrou que somente pela passagem de um único dia d’Ele pela vida daqueles dois incrédulos, eles acabaram com a contenda que alimentavam, como que você que diz crer n’Ele, diz obedecer a Ele e diz ser amigo e não Seu inimigo, que diz ter dentro de si o Seu Espírito, não consegue olhar na cara dos seus irmãos mesmo com tanto tempo de supostamente convertido, se Ele nos deixa claro que serão perdoados somente os que oferecem perdão???!!!

Mas não se aperreie ainda não, que há ainda um teste para você saber, e eu de cá tenho feito o meu, se sua pessoa está na fileira do milho verde de pé, se no milharal caído ou, quem sabe, também na ruma de gente do pescoço duro, ou melhor, na fileira da cana que vai à margem de tudo que se chama Deus, 'doce' que se acha e pensa que bastará, e eis o teste: se sem precisar de termômetro algum o/a nobre notar ao menos a banda da cara febril, há esperança. Basta dobrar a cerviz, os joelhos, e meter a cara toda no chão; mas caso não, é quase certo tu tá 'ka chave na mão'.

O Batedor que, Ele próprio sendo Senhor dos Exércitos morreu calado e não recuou da missão de salvar da morte Seus combatentes quando caiu nas mãos inimigas, de Quem eu seguramente sou artilheiro, é que me mandou aqui te lembrar que a “brevidade da vida, a certeza da morte, e a duração da eternidade” é tudo cabido a Ele executar, mas que, aos inimigos, vai a vida breve e a morte certa, a eternidade, porem, somente para o soldado obediente à missão, que não atira no companheiro nem cospe no General. Solta essa chave...

(...)E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;

Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas
. (Mateus 6:12-15).

Soltou???

Jesus é bom!

Antônio Franco Nogueira - à serviço do Reino eterno

AQUI, mais textos do autor

'(...)Abominação é ao Senhor todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas'. Provérbios 16:5 - Na foto, Antônio Franco Nogueira, diretor do Camaçari Fatos e Fotos, convertido à fé cristã há cinco anos (Foto: Mônica Franco)
'(...)Abominação é ao Senhor todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas'. Provérbios 16:5 - Na foto, Antônio Franco Nogueira, diretor do Camaçari Fatos e Fotos, convertido à fé cristã há cinco anos (Foto: Mônica Franco)

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br