Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Antonio Franco Nogueira

‘(...)ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação’. (2 Coríntios 5:19). Franco lendo a Bíblia para a sogra, dias antes de ela falecer. Foto: Jaqueline Cardoso
‘(...)ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação’. (2 Coríntios 5:19). Franco lendo a Bíblia para a sogra, dias antes de ela falecer. Foto: Jaqueline Cardoso

- Pai, teu servo quer batizar a tua serva, o que o Senhor me diz?

Essa foi a oração. Na verdade um pedido de “permissão” por eu, além de não ser pastor ou outra coisa que supostamente me habilite, não fazer parte do mesmo ministério da minha sogra, que era a pessoa a ser batizada, além da falta dalguns papeis que ela não tinha e que lhes estavam sendo exigidos para que fosse batizada; mas os pormenores disso, que muito pode falar contigo ou com alguém de bem próximo à você, vem mais adiante.

[E para que você perceba que não se trata dum homem falando contigo, mas sim o Espírito Santo usando minha vida para te trazer uma verdade, na verdade “duas verdades” – apanhe sua Bíblia - que destravará tua espiritualidade e sempre esteve diante dos teus olhos e você nunca enxergou, por comodismo talvez, veja que, assim como os textos bíblicos a saltarem aos olhos, a interpretação dos sonhos, pelos quais, quem sabe não somente por quaisquer má interpretação do texto bíblico mas também por Ele saber que a turma não tem se aplicado como deve ao estudo das Escrituras e visto não pouca gente na contra mão da estrada, Jesus também tem tentado ajudar o Seu povo, JAMAIS pode ser coisa dum homem, conforme diz em Gênesis 40; 8, logo não desperdice a graça que Ele vem te trazer por essa mensagem. Que aliás é um bem e não um mal para ninguém, que juízo é o que não me falta e eu bem sei do carinho de Deus para com aqueles que O amam e O temem, assim como do Juízo que Ele vai trazer sobre os que enganam o Seu povo. Porém, antes de partir para o texto, uma pergunta: durante nossa vida na terra temos 24 horas por dia. Dessas, 8 horas trabalhamos, 8 horas dormimos, e as 8 horas restante, quantos minutos dessas horas você tem usado em favor de tua alma? Não me diga que a cara ficou vermelha???!]

Então põe tua Bíblia aí do teu lado e vem:

Pense num genro que amava a sua sogra e numa sogra que amava o seu genro...! Pensou? Pois é. Não à toa nascemos no mesmo dia, 08 de setembro. Agora segura aí que a conversa vai noutra direção até que tudo se encaixará e teu coração será então esclarecido sobre o tal do “banho-de-cuia” e sua relação com o batismo bíblico, o que acredito que foi o que te trouxe aqui, como também os equívocos envolvendo a doutrina do "examine-se a si mesmo", para que então o crente seja habilitado a participar da cerimônia da Ceia do Senhor. Aliás, sobre o banho de cuia, diz-se que esse banho é o tipo de banho feito com um vasilhame, ou uma cuia com que joga-se água no corpo. E é. Mas há controvérsias já que estamos no Brasil. E como no Brasil com quase tudo, senão com tudo, faz-se parodia, vem comigo que, à parte da brincadeira, o negócio vai ser por demais interessante.

E claro que você já percebeu que minha amada sogra é morta. E morreu esse mês, numa quinta-feira, 12 de dezembro. Pessoa boa. Não perfeita, como perfeito ninguém é, mas boníssima. Tão boa que até na morte sem sequer te conhecer vai, por esse texto, te trazer um benefício sem igual e não somente sobre a questão que intitula esta mensagem, se você estiver atento em toda a leitura. Se isso te interessa, claro. E falando em amor, minha esposa, cunhadas e sobrinha que presenciaram tudo até o finalzinho, me disseram que ela, no instante da morte perguntou por mim, suspirou e partiu. Mas vem cá:

Convertido ao evangelho fui batizado quase um ano depois mesmo desde sempre seguro de que minha força estava em Jesus Cristo, no filho de Deus. Mas tive que cumprir o rito doutrinário e esperar por seis longos meses os tramites até que a Eclésia do ministério onde fui posto pelo Espírito Santo à congregar, decidisse que era hora de eu confessar publicamente minha fé - ainda que desde o momento que me converti sempre estive certo de que estava preparado para “morrer para o mundo e viver somente em e para Cristo”. Que em tese é o que representa o batismo com água. Mas nunca estive em paz com aquela situação, tanto que, dentro da roda de pastores que me inquiriam, num ritual denominado “profissão de fé”, sobre se eu cumpriria os preceitos doutrinários do ministério e se eu obedeceria ao meu pastor – que já não faz parte do mesmo ministério e com quem tenho pouco contato mas a quem ainda hoje amo e tenho um carinho muito especial, a minha resposta, na lata, o que fez a maioria deles no círculo se entreolharem, foi que sim, porem desde que nem o ministério nem meu pastor ferisse os princípios bíblicos que eu encontro nas Escrituras. Naquele momento, sempre orando e pedindo à Deus sabedoria e o dom do discernimento, eu já vivia diuturnamente com a cara na Bíblia. Mas aquela, terminantemente, pelo que percebi, não era uma reação a que estavam acostumados. E, depois de tanto tempo aguardando pelo batismo e dias depois dessa inquirição, fui batizado, juntamente com minha esposa, por causa da minha limitação física, na minha casa [Conforme imagem sobrenatural no texto Altares e contas a prestarem]. E é sobre choque entre não poucas doutrinas com o que de fato dizem as Escrituras que é o papo contigo dessa vez. E eu posso te garantir que venho à você AUTORIZADO pela Sala do Trono, como verá.

Na casa da “comadre Dete’, que é como eu chamava a minha sogra, é todo mundo crente, mas, verdade seja dita, era somente ela, que era analfabeta, que tinha o interesse de sentar diante de mim sem fazer ‘cara feia’ para escutar sobre os escritos sagrados sempre que estávamos em sua casa, e a partir da minha conversão ao Evangelho, que veio com um dom muito especial, a interpretação de sonhos, muita coisa mudou no seu modelo de fé, principalmente pelos sonhos que, conforme ela, Jesus passou a lhe dar, depois que ouviu de mim que já que ela não sabia ler que Ele ouviria as orações que ela fizesse pedindo Suas orientações, como de fato ela passou a ter sonhos orientadores e reveladores [aliás, como deu a mim, Ele inclusive deu não poucos sonhos a ela mostrando crentes como um bocado de boi dentro dum cercado], conforme me contava, além do seu encanto diante das explicações que me ouvia lhe dando sobre os mistérios embutidos por detrás das palavras por toda a Bíblia - da Palavra revelada, como dizem os pegadores, por isto a ordem é MEDITAR. Inclusive sobre sua morte Jesus tanto à visitou quanto visitou algumas de suas filhas, e também a mim, dizendo que a recolheria. A mim Ele disse que à recolheria antes do tempo. No sonho ela era uma manga que tinha sido colhida antes de amadurecer, o que, durante o sonho, me causava uma dó imensa daquela manga tirada ainda quase verde. Indicando que, certamente que por algum propósito de Deus, e acredito piamente nisso, ela seria recolhida antes da hora - sobre o que, do crente sair da vida antes do tempo Isaías 57; 1 explica. E à ela deu um sonho onde ela se via diante dumas pessoas que haviam ido à sua casa para “chamar as meninas para saírem”, (as filhas) onde ela se via perguntando àquelas pessoas sobre se elas “tinham se esquecido dela” – enigma fácil de desvendar: quem não é visto é esquecido! O que ficou claro pra mim, pelo Espírito de Deus, que daquela doença ela não sararia, mas dela morreria. Como de fato morreu.

Outra visitação que Jesus fez à sua filha caçula para dizer-nos que a recolheria, foi onde ela via a mãe deitada e sangrando, quando ela - o que ficou claro dentro do sonho para a moça que sonhou, com o propósito de não permitir que a filha visse a sangreira jogou o lençol por cima do corpo. O que ficou mais do que patente, pelos símbolos que Jesus usa nos enigmas, que ela morreria. Que é o que acontece com todo mundo que esconde que está doente. Por isso o sonho com aquela configuração. Episódio que, inclusive, enquanto aponta que ela não adoeceu agora, é uma dica sem medida para quem estiver doente e lendo esse texto, mas sem fazer com que seus familiares saibam do que o/a acomete, fazer então diferente para que “não vá tão cedo”. Mas aguenta aí que isso ainda não é a ajuda de que te falei que ela mesmo depois de morta te daria.

Eu ia te dizendo que minha sogra, amiga e irmã em Cristo, conversava muito, ou melhor, me ouvia muito, sobre os registros bíblicos que tem sido distorcidos. E foi em algumas dessas conversas que fiquei sabendo que ela nutria uma angustia muito grande por não ser ‘batizada nas águas’ e por conseguinte também por não ‘tomar a ceia’ nos cultos de Ceia, e por consequência disso, por supor, mesmo que não fosse isso que a afligia, não detinha cargo algum no ministério – a além do de zeladora – varrição do templo e lavagem dos banheiros. O que ela, mesmo com o joelho doente, o que a impedia de andar direito, exercia com prazer por entender que estava ‘servindo ao Senhor’, ainda que tendo que puxar na paleta, de ida e volta, a distância não pouca de onde morava até onde ficava o templo. Faltar aos ensaios dos grupos de senhoras para ela era uma dor, e faltar aos cultos então, um suplício. Assídua como era não havia igual. Ela tinha prazer de estar “na presença”. O que me confessou que a frequência era por não saber ler e se sentir alimentada pelas pregações, mas a angustia dela passou a ser minha angustia por saber que haviam equívocos naquilo tudo. Mas como falar, sem que ela sofresse um nó na cabeça? Falando a verdade. E foi o que sempre fiz. Inclusive, como você percebeu na abertura do texto, pela oração ali, tentei batizá-la mas ela, mesmo com a autorização de Deus, como logo verá na resposta que Ele me deu à oração, e que à fiz saber, ela que cria muito nos sonhos, muito educadamente recusou me dizendo que aquilo poderia magoar seus pastores.
Inclusive era já para ter te contado sobre o banho-de-cuia, mas você não entenderia como precisa entender se tudo o que já te foi dito não tivesse sido dito. Mas, como o assunto é equívoco doutrinário, aguenta aí:

(...)E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.

E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Mateus
26:26,27.

Dete, aqui não está escrito que somente aqueles que não tivessem pecado é que deveriam participar da Ceia do Senhor, mas diz que TODOS beberam da taça. E mais acima, no contexto imediato – e claro que não com as exatas palavras a seguir mas de forma que ela entendia, não sem propósito está escrito que o traidor era o que “metia a mão no prato” junto com Jesus. Logo, Judas, que já havia negociado a traição com os fariseus [nos dias de hoje representando não poucos dos da alta corte da igreja, em termos à parte, eu disse em termos à parte e não que esteja dizendo que é desse tipo específico de traição – se bem que o mesmo espírito que estava em Judas era o mesmo que estava, e está, por trás dos ídolos pagãos - que o apóstolo Paulo está falando sobre o não discernimento do corpo e do sangue e o examine-se à si mesmo, significando que até o traidor que ao modo dele traiu Jesus, e foi condenado por NÃO DISCERNIR nem o Corpo e nem o Sangue, foi participante da Ceia, disse.

Então, se Judas participou da Ceia do Senhor e se o Senhor não o retirou da mesa, como que os da doutrina religiosa humana exige que se a pessoa estiver “em pecado” ela não pode participar? Perguntei a ela. Que me olhava meio que perguntando algo a seus botões, o que não me era possível saber, dado que ela, ainda que infeliz mas respeitosa com os que lhe doutrinavam, nada dizia, apesar de que dava pra notar sua alma inquieta com o que estava ouvindo de mim, que sempre com minha Bíblia aberta sobre a mesa tentava informar sua alma acerca do que de Fato Jesus ensinou sobre o tema. Creio que do perigo que o registro, também no mesmo contexto em Mateus 26, de que “ai de por quem o Filho do homem (Jesus) for traído” - o que NÃO está ali para enfeitar as páginas das Escrituras, representará para um monte de gente não vai ser preciso te lembrar, ou vai? Vai? Então tá. Mas vou dar somente uma dica numa conjectura: Se você, que é um homem conhecidamente ciumento, valente e rigoroso quando irado, confiasse os cuidados da mulher com quem você pretende se casar, sua noiva, por quem você está apaixonado, à um amigo a quem você salvou da morte, logo que te deve a vida, e que te devia ainda muito dinheiro (dinheiro que o cabra tem à vontade), e em quem você confiava por demais, lhe pedindo que cuidasse dela com todas as suas forças, dos pés aos cabelos, da roupa à saúde, logo, principalmente do alimento, e também da educação, recomendando a melhor faculdade, enquanto você não voltava duma viagem demorada, e quando você, todo alegre e ansioso pelo casamento, retornasse e ao invés de encontrar a mulher dos seus sonhos bem cuidada encontrasse no lugar uma bruxa descabelada, desdentada, inchada de tão obesa e doente com não poucos tipo de doença, de tanta porcaria que você, umas vezes por vontade dela própria porém atendida por sua pessoa, que tanto lhe dava quanto permitia a ela comer, lixo alimentar pra ser mais claro, e cheia de vontades, mal educada, além de analfabeta ao extremo, e pior: ao chegar em sua casa, à meia-noite, não a encontrasse (na posição), por ela ter ido, e ido sozinha dar uma ‘passeada’ pelo bairro, além de vestida com uns takos de pano como roupa? O que você faria com tal indivíduo? Sabendo aqui que tu já percebeu que falo da Noiva de Cristo sob tua responsabilidade, por tua negligência, completamente mal re’vestida e da Bíblia absolutamente desconhecedora, além de conhecimentos tortos [o que se tem entendido do que quer dizer os Salmos 40 e 91, assim como a oração do Pai Nosso (Mateus 6), é de dá pena, e o ensinamento que tiveram não foi eu que dei não], e imaginando tua tremedeira e a amarelidão do teu sorriso quando você estiver diante do Noivo, eu te pergunto por que tu não reflete nisto, criatura...?

[Olha, ainda esses dias estive conversando com duas almas, crentes, uma há mais de 15 anos e a outra há mais de 20 anos na igreja, e além de fazer dó a falta do mais elementar conhecimento bíblico, foi de irritar a resistência à verdade de uma delas ainda mais, a mais antiga, mesmo que eu com a Bíblia na mão desfazendo, eu não, a Bíblia, o aprendizado que a criatura havia recebido ao longo de todo esse tempo, e aprendizado que de fato em nada as instruiu, antes as tornou como cegas de nascença [ainda bem que Jesus é Mestre em curar cegos de nascença] mesmo com a explicação de que se elas, declaradamente duas crentes Gabriela: eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim, procurassem ouvir, e orar a respeito Jesus às tiraria daquele grau de cegueira bíblica e do que representou o sacrifício da cruz, mas não adiantou. Como resultado, pela cerviz dura que tanto me entristeceu, fiz uma oração, aos prantos, no meu secreto, pedindo socorro à Deus dado à árdua tarefa [e Ele me respondeu na mesma noite, me dando a visão duma irmã de sangue que tenho  (Ele inclusive já me deu ela em sonhos várias vezes como figura da Igreja, em uma delas ela nua, mandando que eu dissesse ao povo o estado em que Ele estava vendo Sua noiva: louca e sem revestimento) que é doente mental mas que na visão conversava comigo completamente lúcida. Logo ficou claro que o trabalho com essas pessoas não será em vão, que uma hora vão despertar da loucura]. E essas almas não estão só, posto a coisa estar geral mundo a fora. Até, e esse dum ministério diferente do dessas irmãs, que até são cada uma dum ministério, me bati com um diácono, de 40 anos de idade, que não sabia dizer, segundo a Bíblia quantas cartas exatamente – o “exatamente” eu coloquei de propósito na pergunta para testar a segurança do moço – o apóstolo Paulo escreveu aos Coríntios. Outros irmãos, e muitos até bem letrados, já que há a observação da abreviação dos tempos para a Sua volta tão batido, pregado, e martelado, que tratam as Escrituras – Daniel 7;25, como exemplo clássico - duma semana para contar os tempos, onde se recebe ali uma bofetada na cara todo aquele que prega o arrebatamento da Igreja sem padecimento algum do cristão, com mais esta preciosa dica à qual Daniel deve ser somado, em 2 Pedro 3:8 (...) amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia, onde se saberia, dado o estado espiritual da Igreja, se contar-se que pelo calendário Judaico estamos no ano 5.780, quase ao final do 6º dia, e da advertência a todos sobre os tempos (semanas de milênios) que seriam abreviados para que Ele então volte e reine na terra, no 7º dia da semana, a saber o sábado profético, e não o dos adventistas, com todo respeito aos irmãos adventistas, a preocupante proximidade da volta do Senhor, sequer respondem quanto tempo há de Adão até Jesus e de Jesus até aqui, e nem por que Deus Pai teve que fazer o Filho morrer na cruz e ressuscitar ao terceiro dia. Uma lástima. E olhe que não me referi à pessoas incultas].

Como exercício acerca do escrito sobre o discernir o Corpo de Cristo, assim como o “examine-se o homem a si mesmo”, além do que mais envolve sobre a bagunça que aquele povo fazia no ato da Ceia [da mistura dos costumes dum ritual com outro], além da humilhação aos irmãos mais fracos economicamente, que eram deixados com fome enquanto muitos se agrupavam para se abastarem à parte, a panelinha manjada em não poucas igrejas, ou a velha acepção de pessoas “nossa” de cada dia, e chamavam aquilo de ‘ceia do Senhor’, também por isso a irritação do apóstolo, bom é uma meditada no capitulo 10, apenas um capítulo antes do capitulo histórico usado nas pregações de Ceia, como l a Coríntios 11; 27-29, a saber dos versos 14 ao 21 de 1 A Coríntios 10, e vendo em que contexto as passagens evocadas, e equivocadas, pelos nossos ministrantes de ceias do capitulo 11 foram citadas, tendo em mente os costumes pagãos do povo grego (os coríntios), que habituavam sacrificar animais à ídolos e depois fazerem parte da ‘mesa do Senhor’ – lá, onde há evocado também sobre a comunhão do pão e do cálice, logo, uma alusão à Ceia, vê-se citado sobre não dever se fazer parte da “mesa dos demônios” e da Mesa do Senhor, outra razão da repreensão de Paulo, avalie, e avalie, e depois avalie mais um pouco e veja se a conta fecha com o que é pregado sobre “discernir o Corpo” e o “examine-se o homem a si mesmo” como impedimento para que o crente participe da Ceia hoje em dia, aludido ao pecado “comum” dos pobres irmãos. Porem uma passada em Mateus 26; 20-23 somado com I a João 1; 8, é condição fundamental para o xeque-mate no absurdo [e, além de Judas na mesa, conforme em Mateus 26, em l a João foi o apóstolo à quem Jesus amava, se incluindo, falando que somos TODOS pecadores]. Só não compreendo por que “a turma” não considera aquela escritura quando manda o povo “se examinar”, fazendo a pessoa, quem sabe por simplesmente uma zanga com a esposa/ marido ou mesmo um irmão, afora outro “pecado” qualquer, se culpando, envergonhada se afastar da comunhão do ritual da Ceia quando Jesus falou, e a cruz representa, bem ao contrário do que está sendo pregado. Só não sei o que farão com o que diz Isaías 64; 6, sobre que TODOS somos como o imundo e TODAS as nossas ações como TRAPO DE IMUNDÍCIA.

Também não sei o que dirão os que se habilitam, como justos, ao ato de Cear, quando forem inquiridos sobre o que está escrito, tanto na Bíblia dos excluídos quanto na Bíblia dos irmãos ministrantes, conforme em Romanos 3; 23, onde o mesmo apóstolo Paulo mete na cara dos judeus (se quiser ler como os da acepção na Ceia, tá de bom tamanho), que se avaliavam como únicos merecedores da salvação, que “TODOS pecaram (se quiser entender Pecamos, fica ainda melhor) e destituídos estamos da glória de Deus”, naquele grande Dia...

Aliás, na minha primeira participação num Culto de Ceia, numa mistura de emoção com constrangimento, cai num choro que dizer que convulsivo seria pouco, acho que até preocupando minha esposa. Parecia que meu coração ia parar. E esse é o propósito da participação dum pecador nos cultos de Ceia: constrangê-lo e reaproximá-lo de Cristo à medida que o PECADOR à toma. O que simboliza a tão desejada reconciliação do filho, a cada dia mais consciente da sua rebeldia, para com Seu Pai. Mas a pretexto da santidade à força o povo, ao invés de ser reaproximado tem sido afastado da comunhão com Cristo, e pelo que tenho notado com quem tento discutir o assunto, não somente pela má interpretação do texto bíblico, mas para não ter que reconhecer que eles apenas tem, feito os papagaios [conforme me mostrou o próprio Jesus, onde no sonho eu me via lutando com uma dessas aves, depois de perguntar ao Senhor sobre como seria o povo comigo quando eu expusesse algumas questões que para muitos serão ‘novidades’], que somente repetem o que tem escutado falar. Ou, vá saber, resistirão simplesmente para não ter que se desculpar com a Igreja por esses anos todos de ensinos equivocados. E assim preferirão acumular pecado sobre pecado.

(...)Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? 1 Coríntios 10:16. [Contexto do ‘capítulo da Ceia’]

Então peraê - e esta é uma oportunidade de ouro para você colocar em dias aquelas faltas às aulas de matemática anotadas no seu boletim: o “Fazei isso em memória de Mim” não quer nos chamar à, no momento da Ceia, recordar que Jesus partiu (dividiu) o Seu corpo (pão) e derramou (repartiu) o Seu sangue (vinho) por nós pecadores, e anunciá-Lo “até que venha”, e é também Ele entrando em nós a cada momento que vai nos aperfeiçoando? Então por que na Ceia, momento em que, como aconteceu comigo, a lembrança do Seu amor nos constrange, logo vai nos completando, alguém pode entender que somente os “sem pecado” é que estão aptos a participarem, se somente quando Ele voltar é que, e lá sim, a depender de cada coração, teremos os nossos pecados expiados/embranquecidos??!!! Dá pra alguém responder? Já ouviu falar do significado da Festa da Expiação, irmão ministrante, e irmão da miudeza??? Já não? É natural, ainda que não normal!!! Aproveita para estudar o significado das Festas proféticas, que nelas estão os mistérios do plano de salvação que Deus desenvolveu à meu e à teu favor, que muito deve te ajudar a interpretar os textos que apontam para a volta d’Ele. Segura aí a dica, pesquisa aí, estão todas em Levítico 23, que deve ser somado com Colossenses 2; 16-18: Páscoa e Pães Asmos (libertação da escravidão no Egito, pureza, sacrifício e ressurreição de Cristo), Primícias (Jesus como o primeiro à ressuscitar [sendo primícias da ressurreição] e Dízimos – falar disso aqui iria levantar os cabelos da cabeça dum monte de gente – mas depois, se você ainda não sabe, apure ou se pergunte do porquê de Mosto (vinho-sangue), Cereal/Trigo (pão-corpo) e Azeite (Espírito Santo) justamente dentro do dízimo, como em Deuteronômio 14; 22 à seguir, e veja a seriedade desse negócio, que um monte tem profanado e darão contas à Deus por isso), Pentecostes (derramamento do Espírito Santo e início da Igreja espiritual), Trombetas (anúncio da Volta imediata de Jesus para governar por mil anos na terra com os arrebatados: a inversão: a amostra aos que serviram frente aos que não serviram, conforme em Isaías 14 e em Zacarias 14); Expiação (enfim - purificação dos pecados dos salvos, e reconhecimento MUNDIAL da divindade de Jesus Cristo) e finalmente Tabernáculos (Festa definitiva da Igreja salva, já iniciando o governo do Reino de Deus na terra com Jesus como Rei no milênio). Ah, e a Ceia - libertação peremptória da escravidão do pecado à se consumar ainda na festa da Expiação [branqueamento dos pecados – veja em Isaías 1; 18], quando da volta d’Ele, viu cabeção...). E fique bravo não, que o cabeção é expressão de carinho, viu fie... Dessas, três festas quatro já se consumarem, faltando as três últimas, Trombetas, Expiação e Tabernáculo, só pra completar, por ser importante o crente saber sobre o que DE FATO nos fortalece para suportarmos a tribulação desenhada nas Escrituras, que nos espera logo aí à frente (veja Daniel 7; 25), sem recuarmos de Cristo, o que é bem diferente de que Jesus seja unicamente “livramento e benção“ imediata na vida do crente. Onde o que prega isso, quando não somente repetindo a cartilha em que estudou - e à que fim ou intenção à elaborou quem à elaborou, se com o de enganar ou não eu não sei, mente que não se sente, quando não é puramente inocente.

Mas, olha, não quero te assustar não, mas concluir que a atitude de excluir os outros pecadores – e é o apóstolo João que diz que você que está impedindo os irmãos de participarem da cerimônia da Ceia também é um pecador, não sou eu não – pode muito bem ter sido, E MUITA ATENÇÃO AGORA, um dos motivos pelo qual Jesus visitou num sonho um diácono da minha igreja, com a configuração que deu, e que vou te contar deixando com você a conclusão de a que fim Ele fez aquele desenho:

- Irmão Franco, eu sonhei que estava orando ajoelhado do lado de fora da porta lateral da igreja, mas onde eu tinha total visão do interior do templo. No sonho eu via a mesa da Ceia posta e o pastor meneando a cabeça à medida que destampava as vasilhas onde devia está o pão e o vinho, mas que não estavam. De repente eu vejo o pastor arrastando dois sacos pretos com lixo e batendo no meu obro, onde eu entendia que era para ajudá-lo com o lixo. Então despertei.

Foi ele falando por um ouvido e Jesus me revelando o enigma pelo outro, e com um misto de preocupação com indignação, por eu saber que a soberba dos que deveriam decidir por procurar do Pai onde estava o problema os impediria de assim fazer, conforme tenho visto nalguns, disparei:

- De antemão Jesus está dizendo que Ele não está presente no culto: não se pode fazer culto de Ceia sem pão e sem vinho. Em segundo lugar Ele dá uma dica da razão de Sua ausência, nos sacos de lixo – e sacos pretos ainda por cima. Que é indicativo de entulho doutrinário em carga dupla na igreja – que está em terem sido dois sacos, e a origem desse entulho vir das trevas, de influência maligna, por isso a cor dos sacos. Depois Ele mostra que, enquanto o pastor tem compromisso com Ele, o que está na sua reprovação, no menear da cabeça pela falta do pão e do vinho nas vasilhas sobre a mesa, ainda que de menor gravidade há problema com ele quando te balançou estando você em oração, para que o ajudasse com o lixo. Avalie por você mesmo, como tu reage à alguém que interrompe uma pessoa que conversa contigo. E por fim Jesus fala com você, irmão, para que não se envolva com o erro mas que não perca nada de vista, por isso você orava do lado de fora porém tinha total visão do interior do templo, disse.

Eu não sei você, se é a sua pessoa um desses que andam cuidando da coisa bíblica conforme seu entendimento comum, natural, ou fazendo como os papagaios, somente repetindo o que tem escutado dizer, simplesmente por preguiça de meditar e também não de reconhecer seus limites humanos e então pedir socorro ao Espírito do Dono da Igreja para que então faça a coisa certa a fim de não se vir em aperto ao entregar a Ele a noiva d’Ele em tuas mãos estando ela toda espandongada. Mas se analisado a concatenação de tudo o que você está acompanhando aqui, desde as referências e contextos bíblicos às visitações e suas interpretações, como eu disse, o que claramente se vê que isso não é coisa de homem algum, mas do próprio Deus, eu te aconselho a não arriscar deixar a loucura da soberba governar tua decisão de ao menos refletir, e refletir muito, em tudo que está sendo trazido a você nessa mensagem, que doutra forma as consequências ainda nem se poderia enumerar, à parte do que diz à Bíblia, e também pelo que Jesus tem me visitado e me dito, posso te assegurar. Mas como tanto o teu pescoço quanto o meu tá na reta, o teu pela tua teimosia e o meu se eu prevaricar já que está comigo a advertência creia você ou não, vale essa refrescada:

(...)Também, quando um justo se desviar de sua justiça e fizer o mal, e eu puser uma pedra de tropeço diante dele, ele morrerá. Uma vez que você não o advertiu ele morrerá pelo pecado que cometeu. As práticas justas dele não serão lembradas; para mim, porém, você será responsável pela morte dele. Ezequiel 3:20.

Viu? Então vem saber:

(...)E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro. Apocalipse 22:19.

Dizem alguns que a passagem imediatamente acima, sobre que quem alterar QUALQUER palavra das profecias ‘deste livro’ terá retirado o seu nome do Livro da Vida, logo não será participante do Gozo do Senhor, se refere apenas aos escritos em Apocalipse, mas este pobre servo que te escreve, tendo em conta que no livro de Josué 1; 8 se vê disposto que devemos meditar de dia e de noite nas Escrituras, para fazermos conforme a TUDO quanto nelas está escrito, eu aconselho a você não arriscar limitar a Apocalipse a ordem, já que TUDO sempre representou TUDO e já que na compilação canônica das Escrituras se conta 66 livros como sendo todos eles a Palavra de Deus. Apesar de que em João 21 diz que o que Jesus fez nem ainda haveria livro algum, que fosse da terra ao céu, que pudesse caber.

A além de advertir a quem couber a advertência, não há nesta mensagem qualquer propósito de desmerecer o trabalho dos irmãos em frente de ministérios, seja de qual deles for - ainda mais que Jesus me disse que em TODAS, duma ponta à outra desse mundo, há problemas doutrinários; que a lixaria doutrinária – sim, Ele usou a palavra Lixo - é real, embora umas em menor e outras em maior grau, mas apenas despertar os corações ensináveis de sobre os altares para a necessidade duma urgente reformulação nos ensinamentos sob equívocos e aplicação do que de fato diz A Bíblia para doutrina da Igreja, sobretudo por que a Bíblia aponta, à quem quer buscar entender à Deus (veja Jeremias 9; 23,24), qual o caminho à seguir sem que pisemos no prego, com o propósito de edificar à cada dia mais a fé do povo e não gerar mas retirar a angustia dos seus corações, lhes provocando o avivamento espiritual, ao contrário do esmorecimento que é patente na face do crente de não poucos ministérios, para os que querem enxergar, por causa de ensinamentos que as Escrituras não atestam. Esse é o propósito. E se Jesus, além de me visitar me mostrando as distorções no Seu Evangelho tem me dado esse entendimento (como eu disse, basta, aos de juízo, que se apure os textos e contextos sugeridos, para se conferir o que está sendo dito, e meditar nas interpretações das visitações em sonhos sobre a questão), ai de mim se assim não o fizer. Okay? Então ‘vombora’:

Você já notou que minha sogra, em memória, é dada como personagem desta mensagem e você lembra que eu te disse que ela mesmo depois de morta, como sempre fez em vida a qualquer que precisasse de ajuda, vai em muito te ajudar se é você uma alma que vive angustias parecidas com as que ela experimentou dentro das duas questões em voga. A irmã Elisângela da Silva Lima Borges (citação autorizada), moradora duma cidade denominada de "Livramento de Nossa Senhora", no interior da Bahia, é outra alma que tem desabafado comigo sobre que nos culto de Ceia ela morre de vergonha quando a bandeja passa por ela sem que ela possa tocar em nada, por todos ali saberem que ela não é casada “no papel”. O intrigante é que Jesus não para de lhe dar sonhos, cuja interpretação mostra os erros do altar, desde à sua congregação à sede, do ministério que ela faz parte – conforme o texto Ele chora, com a palhaçada vista de cima - respira fundo e vem. Então esteja atento/a para que você tire o máximo proveito do que já foi e será dito adiante, se guardando de torcer o nariz antes de ler toda a mensagem e então trocelo à vontade, se depois disso, e de meditar nos textos e contextos sugeridos, os confrontando com o que te tem sido ensinado ao longo não sei de quanto tempo, se o Espírito Santo em você ainda lhe permitir.

Apesar de que, aqui falando com os “miúdos”, pela sua inocência mas que de coração sincero perante Deus - como foi bem o caso da “irmã Dete”, você não deve perder sua salvação por sua ausência na mesa da Ceia e também não pela falta do Batismo dos homens, como verá no sonho que o bisneto dela teve na noite do dia do sepultamento, se seus pastores, se por desconhecimento ou por apenas estarem repassando o que aprenderam nos ministérios onde servem eu não sei, estiverem te cerceando a participação nos ritos litúrgicos, ou estiverem torcendo de propósito a verdade dita nas Escrituras e com isso te levando a uma vida não de alegria mas de angustias ou a viver uma mistura das duas coisas como viveu a minha sogra, conforme fui testemunha.

- Mãe, eu chamei bisa pra vim pra casa mas ela disse que não vinha não!!! Disse Flavinho à sua mãe, neta da minha sogra, ao acordar, no dia seguinte ao do sepultamento.

O que aconteceu foi que a criança, de três anos de idade, apenas, sonhou com a bisavó. O detalhe é que, conforme minha esposa e uma de minhas cunhadas, no sermão fúnebre o pastor, seguro da salvação da minha sogra e no sentido de consolar os familiares sobre o lugar em que ela se achava, disse que se alguém da família, filhos, marido ou netos tivessem o poder de ir até ela e à chamasse para que voltasse para casa, que ele duvidava que ela quisesse voltar. E dito e feito: na mesma noite Jesus visitou a criança e mostrou à família que Sua serva estava muito melhor onde se encontrava> na Glória! [Eu mesmo já estive no Céu e, notando que era o Céu, pedi a Jesus que me mantivesse lá mas Ele disse que não, que eu teria que voltar para dizer ao povo que 'O Ceu estava quase vazio'. - E não se envergonhe de tremer não que, sendo muito melhor do que ser soberbo/a, isso vai acabar por te fazer muito bem lá na frente]

Qual a lição? A de que com todos os impedimentos que lhe foram impostos pela religião ao longo de sua caminhada cristã, nenhum deles foi suficiente para atrapalhar que ela tivesse seu nome escrito no Livro da Vida que Deus promete ao crente sincero. Logo, se for a tua uma almas sincera não à acarrete com angustias por essa causa.

Mas como a proposta aqui, além de te esclarecer sobre esse fato, é também trazer luz à verdade bíblica, e falar do incomodo que a irmã Dete sentia por não poder ser batizada por não ser “casada no papel”, e ainda que ao crente da geral nada de mal lhe aconteça mas ao ministro que, por distorções doutrinárias quais forem, vem lhe causando prejuízos espirituais, não posso dizer o mesmo, vamos em frente.

(...) E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;

Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar.

E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.

De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. Atos 2:37-41.

Antes de discorrer sobre as passagens acima, como muito diz do que Jesus, o Mestre da engenharia sobrenatural, quer falar talvez em especial contigo nesse texto, se o que está sendo dito está agregando à sua vida, é ainda importante te contar duma visita providencial que recebi dum pastor, e ele experiente no Evangelho, na noite de sábado, 14/12, que me procurou para saber o significado dum sonho, que diz de lixo doutrinário pelo que aponta a interpretação, que ele havia tido, onde aproveitei para lhe fazer algumas perguntas, inclusive sobre o “examine-se o homem a si mesmo”, assim como sobre o “comer e o beber indignamente”, onde creio, eu disse creio, que pelo temor por então concluir da possibilidade de que ele não vinha cumprindo as Escrituras como ela determina, o homem enverdeceu. Mas, como já te sugeri somar o capitulo 10 com o capítulo 11 da primeira carta do apóstolo Paulo aos Coríntios, para saber sobre o ‘discernir’ e o ‘examine-se’, e acreditando que você não deixará de correr para essas escrituras, não direi o teor da conversa porem sim o sonho que ele teve e o que Jesus quer dizer com o tal enigma mas não somente a você mas também a não poucos, que tiverem o coração ensinável, que por ventura estejam no mesmo equívoco.

- “Meu santo (ele me chama de santo ainda que eu não seja tão santo como gostaria), eu sonhei que dirigia um carro sozinho na frente com duas mulheres, uma senhora e uma jovem adolescente, que viajavam no banco de trás, puxando uma carrocinha. De repente percebo que a carrocinha se desprendeu do reboque e ao olhar para as duas mulheres e perguntar sobre se elas viram a carrocinha se soltar, as duas olham para trás e confirmam que sim. Então dou meia volta e consigo encontrar a carrocinha com um sujeito que a tinha encontrado e guardado para entregar ao dono quando aparecesse. Porém não me recordo se a engatei de novo no carro ou não. E acaba o sonho”, contou.

Pastor, o carro é seu ministério, por isso o nobre ao volante, e as mulheres são figuras da Igreja; a senhora uma figura da Igreja madura, e a adolescente uma figura da Igreja imatura na porção que o senhor tem sob sua responsabilidade, e certamente que o nobre tem lá tanto crentes maduros quanto crentes imaturos ainda que todos de mesma idade. As duas mulheres viajarem no banco de trás quando o nobre ia sozinho na frente, é Jesus indicando de certa distância que deve haver entre o varão e a varoa que não tem qualquer relação à além da relação espiritual – doutra forma uma delas estaria no banco da frente junto contigo. Agora, disse a ele, avalie se um carro anda arrastando uma carrocinha tão bem quanto anda quando não está puxando nada... logo, se o carro é o ministério e os ministérios são permeados pelo Evangelho da sã doutrina, e todo carro tem suas malas próprias, para que então Jesus configurou o sonho que lhe deu com aquele bagageiro extra sendo arrastado pelo carro que sua pessoa dirigia, e não somente falando com o senhor mas também com muitos outros, senão para dizer que o nobre ministro está conduzindo a Igreja arrastando com ela um “peso extra”, algo estranho ao bom andamento da viagem?, disse. Completando com a figura do homem, que havia encontrado e guardado a carrocinha para lhe entregar, como de fato lhe devolveu, como representante duma interferência externa, que não faz parte ‘da viagem’, que se tem como boa, por isso a “bondade” do indivíduo em devolver, que tem ajudado a que o erro [a bagagem extra] seja reanexado à doutrina quando Jesus tem providenciado, de forma sobrenatural, para que todo peso estranho “fique pela estrada” – por isso a carrocinha se desprendeu sozinha, mas que a turma não tem se dado conta disso e tem voltado para recolher o que o Pai tem reputado como lixo. Disse, como conclusão da revelação que eu tinha até aquele momento.

Olha, além da “bofetada” na cara que levam os que tornam impuros àqueles por quem Jesus morreu e ressuscitou negando-os – ou pondo impedimentos ante bíblico para o batismo, bem ao contrário do disposto em Atos 10; 44-48, onde o povo que ouvia o apóstolo Pedro pregar, e certamente por ter ouvido de bom grado recebeu uma porção generosa do Espírito Santo (onde na passagem, além de algo sobre se eram legalmente casadas, nem eu nem você avistamos ninguém inquirindo aquelas pessoas se elas estavam seguras da fé e muito menos se obedeceriam ao pastor e nem se cumpririam os ritos do ministério, como aconteceu comigo, e acontece com muitos, no dito ato de ‘profissão de fé’ para então ser batizado), a ponto de todos ali passarem a falar em línguas estranhas mesmo antes de serem batizados, o que levou o apóstolo, dizendo que diante daquele derramar do Espírito “não podia ele negar a água” àquelas pessoas às batizarem IMEDIATAMENTE, em Atos 2, onde foram batizadas quase TRÊS MIL almas num único dia, onde inclusive não havia rio, mar ou lagos quaisquer, mas apenas tanques de purificação [os judeus não entravam no Templo sem antes mergulharem nesses tanques – o que é sombra ‘para mais adiante’], conforme descobertos pela arqueologia, também ali nem eu nem ninguém de bom-senso consegue vislumbrar naquele lugar, quando do batismo daquelas quase três mil pessoas, as mesinha do pastor e do cartório para auferir a documentação dos casados ou para casar os descasados para que então fossem batizados. Outra coisa que não consigo imaginar é somente os apóstolos fazendo os batismos mas vislumbro os já feito discípulos dos apóstolos – nos dias de hoje, qualquer CONVERTIDO, ajudando à batizar o povo, para que se conseguisse tamanho volume de batizados. Tudo isso eu disse à ela, e não somente uma vez. Mas ainda assim ela preferiu “não contrariar” seus pastores – e ela não estaria sozinha nessa “lealdade”. E morreu sem “descer às águias”, como dizia tanto desejar. Em tempo, está aberto o campo para que algum pastor me mostre, e aos membros de suas igrejas, onde na Bíblia há escrito da exigência que é feita sobre que somente o sem pecado e o casado é que pode cear e se batizar, que eu não somente retiro do ar o texto quanto volto aqui e escrevo um pedido público de desculpas e ainda registrado em cartório, se a questão for documento. Se bem que para Jesus esse negócio de documento, já que o sacerdócio é espiritual, tem soado para lá de estranho. Quer ver olha isso:

(...)Meu filho, se você serviu de fiador do seu próximo, se, com um aperto de mãos, empenhou-se por um estranho e caiu na armadilha das palavras que você mesmo disse, está prisioneiro do que falou. Provérbios 6:1,2.

“Mas pera aí: se a ordem não fala de documento mas é crer e ser batizado, conforme em Marcos 16;16, para que então a pessoa seja salva, como então a sogra dele foi salva, como ele disse mais acima?”, talvez esteja te ocorrendo a pergunta. E, para sua alegria, se é você uma das almas amarguradas por conviver com a situação que viveu a irmã Dete, além do exemplo simples do ladrão da cruz, onde ninguém vê Jesus mandando o sujeito descer, procurar um pastor, um buraco cheio d’água e pedir que ele lhe desse um banho e então voltasse para a cruz para então ser apto para entrar com Ele na Glória, além de que também não se imagina Jesus recusando a conversão dos que, arrependidos, e suspirando o suspiro da morte sobre o asfalto por qualquer acidente ou sozinho no deserto por qualquer desventura, por “falta do batismo”, mas O sabemos recebedor de todos que clamam por Sua salvação, a resposta está em João 4, na mulher samaritana, ou ‘mulher adúltera – ‘dos seis maridos’. Então me acompanhe:

(...)Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. João 4:22.

Sei que, no geral, o que você tem aprendido/ensinado é que a mulher da fonte de Sicar, que teve um encontro com Jesus quando havia ido buscar água – na verdade um pretexto do Espírito Santo para desenhar o que de fato representa tudo aquilo - à parte do demais ali envolvido, como a contenda entre as duas Casas/povos (Judá e Efraim)- é que se trata de homens casados, um após o outro, com quem aquela mulher supostamente vinha se relacionando, ou homens com quem vinha se envolvendo sem o devido casamento. Em tese esta tem sido a pregação na passagem da mulher samaritana. Mas não foi o que Jesus me disse – e eu estava acordado quando recebi a revelação. O que Ele me disse? Me disse que aquela mulher, diferente duma prostituta comum era uma prostituta espiritual, logo os tais maridos JAMAIS se tratou de homens carnais, mas sim de deuses pagãos (maridos: uma imitação de Satanás, que pela adoração falsa do povo a ele, quer se fazer de marido da Igreja, frente a Jesus, que é o Noivo prestes a ser feito o verdadeiro Marido da Sua noiva), deuses nos quais, adorando “o que não sabia”, ela buscou água num, noutro, depois noutro, e estava já buscando água no sexto mas que sem encontrar – por isso ela continuava sedenta, ainda buscava a Água que a tiraria da sede eterna “Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.” (João 4.10), logo Ele era o Marido que detinha a Água (Espírito) de que ela precisava. Entendeu ou precisa desenhar? - ‘’Mas o que isso tem a ver com meu batismo que meu pastor se nega a fazer?’’, caso ainda se pergunte. E eis sua resposta: (...)Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. João 4:24.

[Sobre o “em espírito e em verdade”, é por que o povo adorava em espírito porem não em verdade, pois adoravam espíritos enganadores (demônios), que operavam por detrás de deuses de mentira. Isso porém é tema para outro texto]

Mas sobre a Água vem que vou te explicar, se você ainda estiver precisando de ajuda para entender o mistério – que na verdade sempre esteve NA CARA, só não compreendo como que por tanto tempo a turma tem pregado o carnal quando se trata duma metáfora que aponta para o espiritual:

Lembra do ladrão da cruz, e do sujeito caído no asfalto depois do acidente e do outro no deserto à beira da morte clamando por Salvação de suas almas? Lembra também que Jesus não aparece em nenhum lugar nas Escrituras dizendo aos tais não batizados que na Glória eles só entrariam se suspendessem o último suspiro e procurassem algum buraco d’água e um pastor – eu disse um pastor e não qualquer irmão convertido dos “ôrea-seca”, ora essa - para mergulhá-los antes de Ele os aceitar? Lembra também de Ele dizendo que Ele é a Água Viva, e que o Pai procura quem O adore em espírito e em verdade? Pois é, essa é a resposta. Se teu pastor, sei lá por que cargas d’água, te nega o batismo ou te impõe cumprimentos que te são impossíveis de resolver (Atos 15; 10), como o tal do casamento que não está no teu alcance decidir para então te batizar, Ele, a Água Viva, pelo Seu Espírito, vem, te cobre/banha e te recebe de braços abertos, como aconteceu com a minha saudosa sogra, e não só quando for a tua vez de ir mas desde agora. A minha sogra, porém, e essa é outra dica que “ela te dá”, levada pelo Espírito dado a importância do perdão, dias antes de expirar reuniu toda a família e a um por um pediu perdão por qualquer eventual ofensa dela para com seus familiares – o que deve ser extensivo a quem mais couber o pedido. Ela porém, não sabia ler e não era preguiçosa: tudo o que ela pudesse fazer “para a obra” ela, mesmo mancando ela fazia. E se ela soubesse ler, meditar nas escrituras sagradas para ela certamente deveria ser como comer um manjar. O que é bem diferente dos letrados que tocam, quando tocam, uma vez por semana, e somente tocam, nas suas Bíblias. Meditar são outros quinhentos. [Aliás, Jesus já me visitou e me mandou dizer à Igreja, na figura duma mulher que não é dada a ler as Escrituras, com essas exatas palavras: “Diz à ela, que medite em Josué, no capitulo 1 e no versículo 8”]. Só que, como Jesus via o coração da minha sogra Ele vê também o nosso (Jeremias 23; 24) e sabe muito bem o tipo de adorador que somos, e assim decidirá que tipo de lugar nos reservará quando da nossa partida.

Como no futebol, e aqui estou muito à vontade para parodiar a situação já que, além de que nosso Senhor usou muita figuração para facilitar – quando era o caso, o entendimento do povo sobre a mensagem que Ele queria passar, também na igreja há mesmo muito engano no que não pouca gente tem aplicado ao povo sobre o que deve ser feito quando se quer ser batizado, que é, ou pelo menos deveria ser, bastante o “Crê e tão somente o crer no Senhor Jesus”, onde, pelos ritos exigidos, eu considero como o tal do banho-de-cuia (que vale registrar, que à parte do futebol, via de regra o dito banho era sempre na base da água fria) que é aplicado quando um jogador quer enganar o outro jogando por cima do adversário a bola que tem nos pés, mas apesar de ter usado o termo na manchete da mensagem a proposta não é dizer que entendo que os que tem aplicado essa doutrina de exigências mil para que alguém seja batizado estejam enganando as pessoas de propósito, como é feito no futebol – o que não digo o mesmo sobre o banho de água fria que tem sido dado no crente sobre o que envolve a situação - mas que decerto por uma má compreensão do que dizem as Escrituras, porém trazer os que assim tem procedido – e agora falo muito mais por suas almas do que pelas almas dos que tem sido impedidos do ritual, já que aos excluídos Jesus mesmo batiza com Sua Água, à reflexão do que de fato diz a Bíblia para que não tenham comprometido, no mínimo, o seu galardão, tendo em mente que o sonho da carrocinha, dizendo da bagagem extra que tem atrapalhado o bom andamento da Viagem, falando com o ministro que cito acima, que inclusive não por qualquer acaso pratica o mesmo rito de impedimentos que muitos vem praticando tanto quanto com o batismo quanto com a Ceia, não me chegou exatamente na hora em que eu escrevia esse texto sem qualquer propósito. Sobre isso eu tenho uma noção, porém Jesus sabe EXATAMENTE não somente por que o mandou mas principalmente com que intenção lhe deu aquele sonho.

Então, com base em que Jesus, no ato da Ceia, em que se encontrava o homem detentor do maior pecado de que se tem notícia, a saber, a traição contra o nosso Salvador, que O levou à cruz, e que Ele disse naquele momento que a Ceia deveria nos recordar [fazei isto em memória de mim - 1 Coríntios 11:24] do sacrifício que Ele fez pelo pecador para que, na Sua volta, na Festa da Expiação, não se esqueça, tivéssemos nossos pecados perdoados e por conseguinte livrados da Ira de Deus no dia do Juízo, eu gostaria de fazer uma pergunta aos exegetas das doutrinas “da carrocinha”, com moderado respeito [se o “moderado” te incomodou dá um pulinho ali no Salmo 40;4], acrescido que estou da informação de que não poucos são os líderes ministeriais que, em se faltando à três cultos de Ceia – ainda que não haja na Bíblia NADA que respalde esse entendimento, por suposição de que, além da desobediência para com a liturgia, as faltas indicam está a pessoa em algum pecado, o crente é posto “em disciplina”, a pergunta é esta:

Se, além do que diz em Romanos 3, sobre que NÃO há diferença, pois TODOS pecamos e destituídos estamos da glória de Deus [e ai de nós se não fosse a cruz], em Deuteronômio 6; 5, o Espírito de Deus diz que as obras dos homens [leia-se nossas ações] são continuamente más, e em Deuteronômio 8; 21 diz que são más desde a nossa meninice, e isso somado ao que diz o próprio Jesus, em Mateus 05, sobre pensamentos impuros, se fosse dado o poder a um desses que são excluídos, tanto do batismo quanto das Ceias, por causa do pecado e da falta dum papel qualquer, de este gravar um CD com tudo o que os senhores ministrantes tem pensado – e nem digo do que os nobres tem feito ou articulado e procedido na contra mão do Evangelho em oculto, mas apenas do que tem registrado no Céu do que os senhores andaram maquinando nos seus corações – e fosse permitido por as imagens para rodar no telão do templo bem na hora do culto, os senhores se manteriam no ambiente ou danaria na carreira pra bem longe dali? Tendo em mente o dito em Jeremias 23; 24, se responda ali diante dum espelho, se for o seu caso. Mas se você conhece a passagem em Jeremias, já sabe que Jesus já tem sua resposta, não é mesmo?

(...)Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele
. (João 6:56). E já que essa foi a ordem, e já que se trata dum simbolismo tanto um quanto o outro ritual, já que à partir do Senhor tudo é no espírito, reflete aí se dá pra teimar, tendo também em mente que não faz o menor sentido Jesus ter sido partido na cruz por TODOS os pecadores e na mesa o pão ser partido somente por alguns presunçosamente sem pecado, como se não fôssemos todos do mesmo corpo/comunhão, e sendo Ele a Água Viva, que cobre-nos muito mais do que um mergulho n’água qualquer já que (...)Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito (Romanos 8:1), uma vez que basicamente todos sabemos da responsabilidade sobre nossos ombros; da salvação individual e que em Cristo, como Paulo deixou dito, não há mais gregos, bárbaros, judeus, gentios, homem ou mulher, todos, e segundo a resposta que Ele me deu conforme aí à baixo, cuja oração abre essa mensagem, aqui me sentindo muito seguro para acrescentar, também na Ceia quanto no Batismo, somos iguais diante do Senhor, poderia se responder se o que Jesus quer dizer não é de fazer perder o sono à quem tem torcido tanto a Sua palavra?

- Senhor, teu servo quer batizar a tua serva, o que o Senhor me diz?

E a resposta veio na mesma noite com um sonho nessa configuração, cuja interpretação deve sim fazer gelar a espinha aos da doutrina “da carrocinha”:

- Me vejo dirigindo um caminhão numa estrada asfaltada e movimentada – mas não havia carros pequenos, era somente caminhões. Só que de repente esbarro num muro que foi construído bem no meio da pista, cruzando a estrada. Então noto que os demais caminhões param diante do muro e, descendo da estrada para um desvio de chão batido ali à direita do muro, onde há um quebra mola arcaico, depois de passar por cima do quebra mola, este também sem sentido estar ali já que o desvio era extremamente curto, retomam à estrada. Então, decidindo que aquele muro não fazia o menor sentido, o derrubo facilmente com meu caminhão e sigo em frente sem sair da pista. E ponto.

À pessoa que sonha, se você não sabe, é preciso fazer saber que nada, nem pessoas nem coisas, desde um objeto à todo o cenário, não existe no sonho. Tudo é o Espírito Santo que desenha para construir o enigma pelo qual Ele quer falar com o povo.

Então, 01 – Se a oração que fiz foi perguntando se eu, que não era do mesmo ministério da minha sogra, e nem 'teologicamente' autorizado, 'consagrado' para tal, podia batizá-la, já que que ela não era batizada por não ser casada “no papel”, me diz o que Jesus quer dizer com aquele muro no meio da pista, e me pondo à derrubá-lo com meu caminhão, senão que estão pondo obstáculo onde não faz sentido que haja obstáculo e que tais obstáculos precisam ser eliminados para que a viagem flua? 02 – me diz também por que não havia carro pequeno e somente caminhões, senão que para nos dizer que n’Ele temos não somente a mesma força como também MUITA FORÇA e ainda assim estamos nos permitido atrasar a viagem por causa dos desvios (doutrinas humanas – o muro) e retomado a estrada porém somente depois de transpormos mais obstáculos imposto ao povo (o quebra mola), sem nos darmos conta disso? 03 – E por que Espírito Santo me faz notar que derrubei o muro com facilidade?  Acertou se disse que Ele está nos dizendo que se usada a força, que é Cristo (o caminhão) em nós, não pode haver obstáculo (acréscimos doutrinários) que resistam. E reflete mesmo do por que, além do muro atravessado na pista, daquele quebra mola ali, POSTO DENTRO DO SONHO.   04 – mas, se há erros, por que o desvio era à direita e não à esquerda? Resposta: Por que quem está errando não se entende errando, mas acertando, por isso o desvio (e em se falando em Evangelho não há lugar para desvios e nem atalhos, no que Jesus deixa claro que há mesmo problema na doutrina) por isso o desvio à direita e não à esquerda. (Aqui até cabe te dizer de certo casal, ele crente convicto e ela ainda obediente à voz contrária mas que sempre recusava as advertências do esposo sobre as astúcias de Satanás, onde o marido, depois de orar pedindo ajuda a Deus sobre a rebeldia da esposa, sonhou que a esposa dirigia um carro tendo ele no banco ao lado, onde ela entra numa rua à direita mas que ao final era uma rua sem saída, cuja tradução é Jesus dizendo ao marido: “Se tu à deixar na direção, ela vai levar os DOIS a se perder!”). Saca que o Diabo põe na cabeça de quem o ouve que o/a cabra está fazendo a coisa certa, mesmo que o sujeito esteja enfiando o pé no prego?

Talvez você ainda nem tenha “caído a ficha” sobre a resposta que o Senhor me deu, mas avalie, e para que você não perca o fio da meada jamais tire da mente que o sonho com a configuração que Ele deu foi em resposta sobre se eu, que não sou pastor e ela que não atendia as exigências doutrinárias impostas para tanto, batizava ou não a minha sogra. O que está mais do que claro que a resposta d’Ele foi o mesmo que: “Segue em frente: não te intimides com esse obstáculo!”. Pena que ela, mesmo que também com um caminhão na mão – como já dito, Jesus é aqueles caminhões – ela, imaginando o muro como um obstáculo intransponível para o seu caminhão, preferiu descer o desvio mas que no caso dela não deu tempo de pular o quebra mola e voltar feliz à estrada [se você dirige ou não, mas está em viagem, imagine a alegria de quem deixa uma estrada de chão, e ainda onde há quebra-molas, quando a pessoa retoma a estrada asfaltada...].

(...)O Espírito e a noiva dizem: "Vem! " E todo aquele que ouvir diga: "Vem! "Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graça da água da vida. Apocalipse 22:17.

E para tampar a panela, sendo você dos miúdos ou dos graúdos, para que você tenha juízo e não despreze nada do que está lendo aqui, antes ore pedindo uma confirmação se isto procede d’Ele, eis o que Jesus ainda me disse essa noite, em resposta à oração sobre como seria essa mensagem no coração da Igreja:

No sonho não vejo a face de nenhum dos dois mas há duas figuras masculinas e noto que há uma bicicleta com dois defeitos, o fato de que são dois os defeitos na bicicleta me chama bem a atenção, e cada um dos homens cuidam de um dos consertos. Eu lembro porém apenas de um dos problemas da bicicleta, que eram os raios que estavam todos enferrujados, tendo sido todos trocados por raios novos. Feito o conserto eles me entregam a bicicleta e me vejo à entregado à uma mulher. E ponto. 

A Deus toda Honra, toda Glória e todo Louvor:

Os homens são dois Anjos – por isso não era eu o responsável pelo conserto da bicicleta – o que atesta que não está vindo de mim nada do que está te sendo dito, mas do Espírito de Deus, e por isso eu não via suas faces; a bicicleta é a doutrina bíblica que tem sido maltratada/distorcida, por isso os (dois) defeitos, e eu lembrar apenas dos raios apodrecidos, é que numa das duas questões o problema está causando maior estrago do que na outra, e que há sim um problema que tem impedido de a RODA GIRAR BEM (Ele usa o vício de linguagem que usamos para que quando der a interpretação nós entendermos) – atrapalhado a espiritualidade da Igreja; os dois defeitos representam os DOIS temas que precisam de conserto, Ceia e Batismo; a mulher representa a Igreja, que agora com a bicicleta consertada/esta mensagem, nas mãos, deve fazer um esforço/pedalar, que indica meditar se permitindo confrontar os costumes doutrinários clássicos que lhes tem sido pregado nessas duas questões com o que está sendo te trazido nesta mensagem, a fim de ela, a Igreja, MANTER O EQUILÍBRIO. O que decerto não será fácil, por isso não foi uma moto – que para subir UM LADEIRA seria necessário somente acelerar, mas sim uma bicicleta, que depende, para subir, se manter de pé e a pessoa se manter equilibrada sobre ela, do esforço de quem a pedala. [E se você quiser mais claro do que isso só desenhando].

(...)E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.
Números 12:6.

Desta forma, estou seguro para te dizer que, se é você o que tem posto “o muro” no meio da estrada e além do desvio imposto às ovelhas tem ainda posto mais obstáculos, ou quebra-molas, se preferir, para que o crente RETOME A PISTA e siga com alegria sua viagem, reflita nisto e ore à Deus com perguntas sobre esse que te escreve, e sobre o que você está lendo, então tome uma atitude. E se, assim como vivia a minha sogra, agora falando mais uma vez com a “miudeza” do ministério, você tem estado infeliz e envergonhado/a pela acepção à sua pessoa ainda depois do que o Espírito Santo está te falando aqui, fique em paz que nem por falta dalgum banho e nem por sua falta na “mesa”, você perderá jamais sua salvação. O que não te seria assegurado, no entanto, pela reprovação do que houver no teu coração que contrarie a conduta duma alma regenerada quando você estiver diante d'Ele naquele Dia. A regeneração que aponta um convertido de verdade. Em tempo porém, é preciso registrar, que pelo que Deus tem me mostrado e acabo de dividir contigo, eu não estaria à vontade para dizer que fiquem em paz os que vem angustiando as ovelhas que querem sim o seu lugar à mesa e confessarem sua fé em público mas que tem sido impedidas, à ponto de a angustia não está permitindo a roda girar bem (espiritualmente, não se esqueça) pelo famigerado peso “das carrocinhas” atrelada ao carro em que elas estão viajando.

Ainda em tempo sobre a Ceia do Senhor - o que é amparado pelas Escrituras conforme você acompanhou: Um ancião pastor das altas montanhas escocesas ao ver que uma anciã duvidava antes de receber a taça, a alcançou, dizendo: "Toma-a mulher, é para pecadores; é para ti."

E ainda, sobre o comportamento do povo em Corinto que tanto indignou o apóstolo Paulo, digo das panelinhas “nossas” de cada dia dos dias de hoje, William Barclay deixou escrito que, “quando as pessoas desejam manter as coisas só para si mesmas, ou para seu próprio círculo, nem sequer estão começando a ser cristãos!”.

Ah, e pensando em te levar a mais uma pequena reflexão sobre esse negócio de desobediência, e o resultado sobre quem faz somente o que quer fazer e não o que as Escrituras mandam e de quebra o que Deus tem 'pessoalmente' advertido, te chamando a refletir sobre que tanto o Espírito Santo ainda opera visivelmente sobre vossa vida, e que tanto das vossas orações Ele tem atendido, me permita mais essa pausazinha, por favor, e qualquer semelhança entre alguns, pode não ser mera coincidência:

(...)E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor
. 1 Samuel 16:14.

(...)E perguntou Saul ao Senhor, porém o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas.
1 Samuel 28:6.

E se tudo o que já te foi dito, mais a citação à um sujeito de dentro de quem o Espírito Santo se retirou justamente por causa da famigerada desobediência, e indivíduo ungido à mando do próprio Senhor JEOVÁ, ainda não te tocou, e se esse negócio procede de Deus, como posso te garantir que procede, e as Escrituras atestam que somos templo do Espírito d’Ele: (...)Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? (1 Coríntios 3:16), apure se, talvez, por causa de fama e de poder, como foi bem o caso daquela turma  há dois mil anos, que nem pensava que faziam a coisa certa pois sabiam que não estavam fazendo, devido os milagres que homem comum nenhum seria capaz de fazer, por determinados que estavam em tirar Jesus, que vinha abrindo os olhos do povo, do caminho deles, justamente você não seja um desses chefes da lei dos nossos dias, que tem aprisionado o Seu Espírito dentro do crente, com imposições loucas quiçá com vistas à dificultar que o povo tenha arrancado a venda que possivelmente se encontra em seus olhos e então, matado Jesus no interior das almas que Ele quer salvar, pelo tratamento de fora pra dentro e não de dentro para fora, e por causa do orgulho nada venha a fazer na direção dalguma correção e lá na frente você acabar sendo contado entre os de semelhante atitude do passado, como: (...)De manhã bem cedo, os chefes dos sacerdotes com os líderes religiosos, os mestres da lei e todo o Sinédrio chegaram a uma decisão. Amarrando Jesus, levaram-no e o entregaram a Pilatos. (Marcos 15:1), para ser morto, sem se dar conta disso, pelo “muito” que se entende que andou fazendo “pelas almas”, e quando enfim se tocarem, acabar por ser muito tarde e ouvir (...)Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade... Lembra?]

(...)Portanto assim diz o Senhor: Se tu voltares, então te trarei, e estarás diante de mim; e se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles. Jeremias 15:19. [Busque decifrar que tanto te cabe a ti dessa passagem, que o meu tanto já peguei aqui]

Assim, como resultado da ópera, somado ao sonho do diácono, em que não havia nem o pão nem o vinho estando a mesa toda pronta, onde Jesus deixou bem claro que não estava naquele culto de Ceia, mostrando ainda aqueles sacos de lixo, e ainda daquela cor, negra, se você tiver esquecido, logo dizendo do por que Ele não se fazia presente na liturgia, e dos sonhos que Ele tem te dado, se ainda estiver te dando, e você ignorado ou pouco se importado em buscar saber o que Ele tem tentado te dizer, o Espírito Santo mostra - e é o Espírito Santo mostrando e não eu, quando te sugiro fugir do pensamento sobre que é você, e outros, um pastor experiente que vem duma doutrina secular e quem seria esse tal de Franco para nos dizer o que fazer - que antes ore sobre esse negócio, que há sim carga em excesso nas doutrinas que tem atrapalhado a viagem do crente, conforme os dois defeitos na bicicleta, assim como o muro atravessado no meio da estrada que Ele me mostrou e mandou que eu derrubasse. Como estou aqui derrubando e liberando a estrada para quem quiser seguir viagem sem obstáculos tolos, e entregando a bicicleta para quem, liberto, e libertando os cativos, quiser manter o equilíbrio, desde que esteja disposto à pedalá-la. Então tenha juízo e antes de rejeitar a advertência busque a correção perante a Igreja que se assim for o Espírito Santo se encarregará de quebrantar o coração do povo sobre tua humildade em admitir o erro e então tudo enfim irá bem, e bem de fato, muito diferente do que o nobre pensava que ia, que doutra forma, bem ao oposto do que se deu com a alma abatida da minha sogra, à quem Jesus não imputou culpa alguma pela Ceia que ela nunca tomou e pelo batismo que ela nunca experimentou, pode ser que aconteça, eu disse pode ser, bem diferente com àqueles que tem amargurado o coração do povo; e pior, que pouco tem se importando com a saúde da Noiva d’Ele que, não se engane, é tanto amoroso quanto rigoroso.

(...)O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros Isaías 61:1 (mais claro, e muito mais, em João 10).

Arrepende-te, e crê no Evangelho!

Jesus é bom.

Shalom

Antônio Franco Nogueira – a serviço do Reino eterno!

AQUI mais textos do autor

'(...)Nunca me assentei na assembléia dos zombadores, nem me regozijei; por causa da tua mão me assentei solitário; pois me encheste de indignação'. Jeremias 15:17. Antônio Franco Nogueira - Foto: Arquivo pessoal
'(...)Nunca me assentei na assembléia dos zombadores, nem me regozijei; por causa da tua mão me assentei solitário; pois me encheste de indignação'. Jeremias 15:17. Antônio Franco Nogueira - Foto: Arquivo pessoal

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br